Motrisa entrega novo projeto ao MTE

A empresa Moinho Motrisa entregou hoje (17) o projeto para remoção de parte da estrutura do prédio que abriga a fábrica, em Maceió, ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). No dia sete deste mês parte da estrutura do moinho – que armazenava grãos de trigo - desabou deixando cinco feridos. Estabelecimentos comerciais e residências no entrono da sede da empresa continuam interditados

A empresa Moinho Motrisa entregou hoje (17) o projeto para remoção de parte da estrutura do prédio que abriga a fábrica, em Maceió, ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). No dia sete deste mês parte da estrutura do moinho – que armazenava grãos de trigo - desabou deixando cinco feridos. Estabelecimentos comerciais e residências no entrono da sede da empresa continuam interditados
A empresa Moinho Motrisa entregou hoje (17) o projeto para remoção de parte da estrutura do prédio que abriga a fábrica, em Maceió, ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). No dia sete deste mês parte da estrutura do moinho – que armazenava grãos de trigo - desabou deixando cinco feridos. Estabelecimentos comerciais e residências no entrono da sede da empresa continuam interditados (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - A empresa Moinho Motrisa entregou, na manhã desta quinta-feira (17), o projeto para remoção de parte da estrutura do prédio que abriga a fábrica, no bairro do Poço, em Maceió, ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). A documentação será analisada pelo auditor-fiscal Elton Machado, que deverá se reunir com técnicos contratados para a elaboração dos trabalhos e decidir se autoriza ou não a retirada das placas que ameaçam desabar, em virtude do acidente registrado no último dia 07, quando parte de um dos dilos desabou.

O desabamento da estrutura do moinho – que armazenava grãos de trigo - deixou cinco feridos e provocou a interdição de estabelecimentos comerciais e casas no entorno da sede da empresa. "Vou me reunir com o pessoal da empresa que fez o projeto, para que possamos discutir mais detalhes a esse respeito", afirmou o auditor-fiscal Elton Machado.

Segundo informação do gerente de marketing do Moinho Motrisa, Rafael Benedetti, a expectativa da empresa é a de que o projeto seja aprovado. "Estamos confiantes de que o ministério aprove nosso projeto e, com isso, libere os trabalhos. Todo o maquinário já está disponível", disse Benedetti.

O caso está sendo investigado pelo delegado Egivaldo Lopes, do 2º DP. Ele já começou a ouvir proprietários de veículos danificados durante o desabamento. Na próxima semana, após o feriadão da Semana Santa, diretores da empresa devem ser intimados.

Cerca de 70 moradores – de 27 casas - que moravam no entorno da empresa, além de 15 estabelecimentos localizados na Comendador Leão, foram afetados pelo acidente.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247