Mourão quer que Marcelo corte 75% das secretarias

Em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 11, o líder do governo na Casa, deputado Paulo Mourão (PT), cobrou do governador Marcelo Miranda (PMDB) uma reforma administrativa que reduza o número de secretarias e as despesas da máquina pública; "O Tocantins não precisa ter mais do que 10 secretarias", afirmou Mourão; "É preciso reduzir a máquina, estabelecer metas e cobrar resultados"; estrutura do governo do Estado tem atualmente 40 unidades gestoras, entre secretarias e autarquias; Mourão também criticou as gestões de Siqueira Campos (PSDB) e Sandoval Cardoso (SD), período em que, segundo ele, houve "corrupção deslavada" no Igeprev  

Em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 11, o líder do governo na Casa, deputado Paulo Mourão (PT), cobrou do governador Marcelo Miranda (PMDB) uma reforma administrativa que reduza o número de secretarias e as despesas da máquina pública; "O Tocantins não precisa ter mais do que 10 secretarias", afirmou Mourão; "É preciso reduzir a máquina, estabelecer metas e cobrar resultados"; estrutura do governo do Estado tem atualmente 40 unidades gestoras, entre secretarias e autarquias; Mourão também criticou as gestões de Siqueira Campos (PSDB) e Sandoval Cardoso (SD), período em que, segundo ele, houve "corrupção deslavada" no Igeprev
 
Em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 11, o líder do governo na Casa, deputado Paulo Mourão (PT), cobrou do governador Marcelo Miranda (PMDB) uma reforma administrativa que reduza o número de secretarias e as despesas da máquina pública; "O Tocantins não precisa ter mais do que 10 secretarias", afirmou Mourão; "É preciso reduzir a máquina, estabelecer metas e cobrar resultados"; estrutura do governo do Estado tem atualmente 40 unidades gestoras, entre secretarias e autarquias; Mourão também criticou as gestões de Siqueira Campos (PSDB) e Sandoval Cardoso (SD), período em que, segundo ele, houve "corrupção deslavada" no Igeprev   (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - Em discurso nesta terça-feira, 11, na tribuna da Assembleia Legislativa, o líder do governo na Casa, deputado Paulo Mourão (PT), cobrou do governador Marcelo Miranda (PMDB) uma reforma administrativa que reduza o número de secretarias e consequentemente as despesas da máquina pública.

"O Tocantins não precisa ter mais do que 10 secretarias, é preciso reduzir a máquina, estabelecer metas e cobrar resultados", afirmou Mourão. "O governo precisa, com visão administrativa e gestora, assumir o estado, porque o governo anterior passou três anos desrespeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal, este estado não se permite mais equívocos", discursou. A estrutura do governo do Estado tem atualmente 40 unidades gestoras, sendo 23 secretarias e 17 autarquias. 

O deputado petista voltou a criticar os governos anteriores de Siqueira Campos (PSDB) e Sandoval Cardoso (SD). Segundo ele, houve uma "corrupção deslavada" no governo anterior, onde R$ 1,2 bilhão foram desviados do Igeprev, comprometendo o pagamento futuro de aposentadorias e pensões dos servidores. "As meas culpas todos os governos têm que aceitar", afirmou. "É preciso termos compromisso", frisou.

Segundo Paulo Mourão, outra sugestão apresentada ao governador é uma discussão com os setores produtivos do estado. "Este estado precisa voltar a investir, mas ouvindo todos os setores produtivos, sugeri ao governo Marcelo Miranda que faça através das Secretarias da Fazenda e do Planejamento uma discussão com o setor de grãos, o Tocantins hoje na sua balança comercial exporta 98% do que produz, sendo que 81% são grãos, 17% carnes e 2% produtos industrializados ou agroindustrializados", afirmou. O parlamentar sugeriu que um debate com o setor produtivo de grãos para saber onde há necessidade de mais investimento pelo poder público.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email