Movimentação de R$ 21 mi de deputado vai ao STF

Segundo a Receita Federal o valor movimentado entre janeiro de 2011 e outubro de 2012 é incompatível com a renda de Carlos Roberto (PSDB-SP). Abertura de inquérito foi solicitada pelo ex-procurador-geral da República Roberto Gurgel e formalizada pelo ministro Luiz Fux

Segundo a Receita Federal o valor movimentado entre janeiro de 2011 e outubro de 2012 é incompatível com a renda de Carlos Roberto (PSDB-SP). Abertura de inquérito foi solicitada pelo ex-procurador-geral da República Roberto Gurgel e formalizada pelo ministro Luiz Fux
Segundo a Receita Federal o valor movimentado entre janeiro de 2011 e outubro de 2012 é incompatível com a renda de Carlos Roberto (PSDB-SP). Abertura de inquérito foi solicitada pelo ex-procurador-geral da República Roberto Gurgel e formalizada pelo ministro Luiz Fux (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Supremo Tribunal Federal (STF) abriu inquérito para investigar o deputado Carlos Roberto (PSDB-SP), por movimentações financeiras atípicas de R$ 21 milhões entre janeiro de 2011 e outubro de 2012.

Segundo a Receita Federal, o valor é incompatível com a renda do parlamentar.

O ex-procurador-geral da República Roberto Gurgel encaminhou os números que constam de um relatório de inteligência financeira do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) ao STF.

Na segunda-feira, o ministro Luiz Fux formalizou a abertura de inquérito e atendeu ao pedido de Gurgel para que a Polícia Federal ouça o depoimento de três pessoas beneficiadas com depósitos suspeitos feitos pelo deputado.

“Há indícios consistentes de incompatibilidade da movimentação financeira do investigado com o patrimônio declarado à Receita Federal, notadamente no ano de 2012”, escreveu Fux. “As diligências requeridas guardam pertinência com os fatos relatados no que visam ao esclarecimento de transferências, pelo parlamentar, de vultosos valores supostamente advindos de movimentação financeira incompatível com a declaração de renda apresentada à Receita Federal”, concluiu o ministro.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email