Movimentos bloqueiam rodovias em Alagoas

Trabalhadores rurais e sem teto fecharam três rodovias em Alagoas. Eles cobram reforma agrária e políticas públicas de habitação. Os bloqueios ocorrem na rodovia AL-413, em São Luís do Quitunde; a AL-101, em Maragogi, no Litoral Norte de Alagoas; e a BR-101, entre Novo Lino e Messias

Trabalhadores rurais e sem teto fecharam três rodovias em Alagoas. Eles cobram reforma agrária e políticas públicas de habitação. Os bloqueios ocorrem na rodovia AL-413, em São Luís do Quitunde; a AL-101, em Maragogi, no Litoral Norte de Alagoas; e a BR-101, entre Novo Lino e Messias
Trabalhadores rurais e sem teto fecharam três rodovias em Alagoas. Eles cobram reforma agrária e políticas públicas de habitação. Os bloqueios ocorrem na rodovia AL-413, em São Luís do Quitunde; a AL-101, em Maragogi, no Litoral Norte de Alagoas; e a BR-101, entre Novo Lino e Messias (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - Integrantes do Movimento Via do Trabalho (MVT) bloqueiam, neste momento, a rodovia AL-413, em São Luís do Quitunde; a AL-101, em Maragogi, no Litoral Norte de Alagoas; e a BR-101, entre Novo Lino e Messias.

O movimento social, que congrega trabalhadores rurais sem-terra e famílias sem-teto, tem uma pauta extensa de reivindicação, que cobra celeridade no processo de reforma agrária no Estado e políticas públicas de habitação eficientes.

O protesto em São Luís do Quitunde é promovido por famílias sem-teto que ocupam, desde sábado passado,  58 casas do Conjunto Santo Inácio II, cuja obra, iniciada em 2009, faz parte do Programa Minha Casa, Minha Vida, mas ainda não foi concluída.

Em Maragogi, famílias sem-teto que invadiram, no ano passado, um hotel abandonado, interditaram a AL-101 Norte nas proximidades do Sítio Burgalhau.

A PRF confirmou o bloqueio em Novo Lino, mas não informou detalhes sobre o protesto. Há previsão de bloqueio ainda em Porto Calvo e Flexeiras.

Com gazetaweb.com

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email