MP apura contratação irregular de servidores

Além da abertura de inquérito civil para apurar denúncias de contratações de odontólogos que recebem salários menores e têm carga horária maior, o Ministério Público estadual de Alagoas também investiga irregularidades na contratação de guardas municipais em Lagoa da Canoa; outra denúncia dá conta de que vários assistentes sociais aprovados em concurso público não foram nomeados pelo município e continuam sendo substituídos por outros profissionais sob o regime de contratação

Além da abertura de inquérito civil para apurar denúncias de contratações de odontólogos que recebem salários menores e têm carga horária maior, o Ministério Público estadual de Alagoas também investiga irregularidades na contratação de guardas municipais em Lagoa da Canoa; outra denúncia dá conta de que vários assistentes sociais aprovados em concurso público não foram nomeados pelo município e continuam sendo substituídos por outros profissionais sob o regime de contratação
Além da abertura de inquérito civil para apurar denúncias de contratações de odontólogos que recebem salários menores e têm carga horária maior, o Ministério Público estadual de Alagoas também investiga irregularidades na contratação de guardas municipais em Lagoa da Canoa; outra denúncia dá conta de que vários assistentes sociais aprovados em concurso público não foram nomeados pelo município e continuam sendo substituídos por outros profissionais sob o regime de contratação (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou um inquérito civil para apurar denúncias de contratações irregulares de servidores no município de Lagoa da Canoa. A portaria que trata do procedimento foi publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (8). 

De acordo com a publicação, os odontólogos que ocupam o cargo de forma efetiva estão trabalhando junto a profissionais contratados e recebendo um tratamento diferenciado, com carga horária maior e salários menores. 

A portaria também considera a denúncia de que a servidora que exerce uma função de chefia no município de Lagoa da Canoa teria falado diretamente para os odontólogos que assumiram a função de forma efetiva, já nos primeiros dias de trabalho, que faria de tudo para que eles não suportassem a carga de trabalho e pedissem demissão, a fim de que os antigos servidores pudessem ocupar os cargos novamente. 

Irregularidades na contratação de guardas municipais em Lagoa da Canoa também são alvos do Ministério Público Estadual. Do total de servidores que ocupam essa função na cidade, apenas nove foram nomeados após o último concurso público realizado no município. Os demais já exerciam a função na condição de contratados e permanecem no cargo. 

Outra denúncia dá conta de que vários assistentes sociais que foram aprovados em concurso público não foram nomeados pelo município, sendo que diversos profissionais da área continuam atuando em Lagoa da Canoa sob o regime de contratação, o que é irregular, já que todos os servidores devem assumir as funções após aprovação em um certame. 

Com a instauração do inquérito civil, o Ministério Público vai convocar os reclamantes para que eles sejam ouvidos, assim como requisitar do município a relação de todos os contratos de servidores a título precário. Na lista, devem constar os nomes dos servidores com os respectivos CPFs, endereços, funções, vencimentos e locais onde estão lotado. 

O inquérito civil público foi instaurado pelo promotor de Justiça Saulo Ventura de Holanda. 

Com gazetaweb.com

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247