MP investiga se armas falharam em outros estados

O Ministério Público de Alagoas vai encaminhar ofício às procuradorias de todos os Estados solicitando informações sobre submetralhadoras adquiridas pelas polícias; intenção é levantar registros sobre falhas no uso desse tipo de arma; dados vão servir para investigação da morte da soldado Izabelle Pereira, atingida acidentalmente por disparos de uma metralhadora Taurus .40 dentro de uma veículo da PM

O Ministério Público de Alagoas vai encaminhar ofício às procuradorias de todos os Estados solicitando informações sobre submetralhadoras adquiridas pelas polícias; intenção é levantar registros sobre falhas no uso desse tipo de arma; dados vão servir para investigação da morte da soldado Izabelle Pereira, atingida acidentalmente por disparos de uma metralhadora Taurus .40 dentro de uma veículo da PM
O Ministério Público de Alagoas vai encaminhar ofício às procuradorias de todos os Estados solicitando informações sobre submetralhadoras adquiridas pelas polícias; intenção é levantar registros sobre falhas no uso desse tipo de arma; dados vão servir para investigação da morte da soldado Izabelle Pereira, atingida acidentalmente por disparos de uma metralhadora Taurus .40 dentro de uma veículo da PM (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - A pedido do promotor Flávio Gomes, o procurador-geral de Justiça, Sérgio Jucá, vai encaminhar ofício às procuradorias de todas as unidades da federação, solicitando informações sobre as submetralhadoras adquiridas pelas polícias. A medida foi tomada após denúncia de que esse tipo de arma de fogo teria apresentado falhas em outras localidades fora de Alagoas, como constataram técnicos da fabricante Taurus.

Flávio Gomes informou que vai aguardar as informações do MP de outros estados sobre as metralhadoras para, após a colheita dos dados, encaminhá-los às polícias Civil e Militar de Alagoas, que investigam a morte da soldado Izabelle Pereira, atingida acidentalmente por disparos de uma metralhadora Taurus .40, quando em perseguição policial. "Já chegou nos uma conversa sobre problema do tipo em outros estados. Por isso, fiz esse pedido ao procurador-geral. É uma forma de tirar a dúvida", afirmou o promotor.

Três procedimentos foram instaurados – dois na Polícia Militar e um na Civil – para investigar a morte da policial. A delegada Maria Aparecida Araújo, do 6º Distrito Policial (DP), já solicitou ao comando da PM autorização para ouvir os militares que estavam com Izabelle na viatura, no dia do ocorrido, o último sábado.

Perícia realizada ontem por técnicos da fabricante de armamentos Taurus constatou que oito, de 49 submetralhadoras examinadas, apresentaram algum tipo de defeito. As armas são do modelo G2, calibre .40, e deverão ser novamente analisadas para que sejam identificados os motivos que prejudicam o funcionamento das armas.

Diante da constatação de falha, por precaução, o comando-geral da PM-AL determinou que o Centro de Suprimento e Manutenção/Material Bélico mantenha todo o armamento em seu poder até que o laudo final seja emitido pela empresa.

Já a Perícia Oficial informou, no fim da manhã desta quinta-feira (4), que negou pedido feito por técnicos da empresa, que queria acesso à arma da qual saíram os disparos que matou a PM Izabelle Pereira. Conforme a direção do órgão, o Código de Processo Penal e a Lei nº 11.690 garantem que a análise do material seja feita pela Perícia.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247