MP pode fechar acordo milionário com Siemens

Presidente da filial brasileira da multinacional, Paulo Stark, afirmara em depoimento à CPI dos Transportes da Câmara Municipal de São Paulo que a companhia estava disposta a negociar; a empresa é acusada de pagar propina a governos do PSDB em SP para fechar negócios nos setores de energia e transportes; na Alemanha e nos Estados Unidos, a Siemens aceitou ressarcimento em valores que ultrapassam R$ 3 bilhões; Promotoria diz que acordo do Deutsche Bank no caso Maluf, que prevê o pagamento de US$ 20 milhões (cerca de R$ 47 milhões) em indenização à administração municipal, pode ajudar nas negociações 

Presidente da filial brasileira da multinacional, Paulo Stark, afirmara em depoimento à CPI dos Transportes da Câmara Municipal de São Paulo que a companhia estava disposta a negociar; a empresa é acusada de pagar propina a governos do PSDB em SP para fechar negócios nos setores de energia e transportes; na Alemanha e nos Estados Unidos, a Siemens aceitou ressarcimento em valores que ultrapassam R$ 3 bilhões; Promotoria diz que acordo do Deutsche Bank no caso Maluf, que prevê o pagamento de US$ 20 milhões (cerca de R$ 47 milhões) em indenização à administração municipal, pode ajudar nas negociações 
Presidente da filial brasileira da multinacional, Paulo Stark, afirmara em depoimento à CPI dos Transportes da Câmara Municipal de São Paulo que a companhia estava disposta a negociar; a empresa é acusada de pagar propina a governos do PSDB em SP para fechar negócios nos setores de energia e transportes; na Alemanha e nos Estados Unidos, a Siemens aceitou ressarcimento em valores que ultrapassam R$ 3 bilhões; Promotoria diz que acordo do Deutsche Bank no caso Maluf, que prevê o pagamento de US$ 20 milhões (cerca de R$ 47 milhões) em indenização à administração municipal, pode ajudar nas negociações  (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A exemplo do ocorrido em outros países por acusações de corrupção, a Siemens pode fechar um acordo milionário com o Ministério Público. A multinacional alemã delatou existência de cartel em contratos metroferroviários em governos tucanos de SP desde Mario Covas (1998). 

A Siemens é acusada de pagar propina a governos do PSDB em SP para fechar negócios nos setores de energia e transportes.

No ano passado, o presidente da filial brasileira da Siemens, Paulo Stark, afirmou em depoimento à CPI dos Transportes da Câmara Municipal de São Paulo que a companhia aceitava discutir acordo, mas não estimou valor. "Nas nossas investigações internas não fomos capazes de detectar e dimensionar dano".

A Promotoria diz que o acerto da Prefeitura de São Paulo e o Deutsche Bank no caso Maluf, que prevê o pagamento de US$ 20 milhões (cerca de R$ 47 milhões) em indenização à administração municipal, pode ajudar nas negociações com as empresas do cartel.

Na Alemanha e nos Estados Unidos, a Siemens aceitou ressarcimento em valores que ultrapassam R$ 3 bilhões.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email