MP prende suspeito de fraudar licitações

O Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), do Ministério Público Estadual (MPE), e a Polícia Militar, cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos de fraudes em licitações públicas e de estelionato; já foi preso Luciano Lima Lopes acusado de crimes em municípios dos litoral Norte e Sul; ele forneceria notas fiscais frias para várias prefeituras com a finalidade de desviar recursos públicos; em troca ficava com 7% do valor 

O Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), do Ministério Público Estadual (MPE), e a Polícia Militar, cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos de fraudes em licitações públicas e de estelionato; já foi preso Luciano Lima Lopes acusado de crimes em municípios dos litoral Norte e Sul; ele forneceria notas fiscais frias para várias prefeituras com a finalidade de desviar recursos públicos; em troca ficava com 7% do valor 
O Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), do Ministério Público Estadual (MPE), e a Polícia Militar, cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos de fraudes em licitações públicas e de estelionato; já foi preso Luciano Lima Lopes acusado de crimes em municípios dos litoral Norte e Sul; ele forneceria notas fiscais frias para várias prefeituras com a finalidade de desviar recursos públicos; em troca ficava com 7% do valor  (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas 247 - Uma operação desencadeada pela Polícia Militar (PM) e pelo Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), do Ministério Público Estadual (MPE), cumpre nesta quinta-feira (28) mandados de prisão e de busca e apreensão contra um suspeito de fraude em licitações públicas e de crime de estelionato.

Luciano Lima Lopes, conhecido como Luciano Cabeça, foi preso acusado de envolvimento em fraudes em licitação em municípios dos litoral Norte e Sul. Segundo investigações do Gecoc, ele forneceria notas fiscais frias para várias prefeituras com a finalidade de desviar recursos públicos.

O MPE informou que, como vantagem, o acusado recebia das prefeituras cerca de 7% do valor desviado. A fraude, de acordo com a investigação, se dava por meio de empresas fantasmas que forneceriam notas falsas para justificar as despesas feitas pelos gestores públicos. 

O suspeito deve ser encaminhado para a sede do Gecoc, no bairro do Poço, onde será ouvido. Ele foi denunciado por outras pessoas que também participariam do mesmo esquema. A prisão temporária tem prazo de cinco dias.

Além do mandado de prisão, a PM e o Gecoc buscam possíveis objetos que comprovem a prática do crime.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa do suspeito e na empresa LLMar, de locação de veículos, no bairro da Gruta, devido a suspeitas de que o local servia para guarda de documentos sobre as possíveis fraudes.

Com gazetaweb.com e assessoria

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email