MP quer contratação de professores para alunos com deficiência

O Ministério Público do Estado de Alagoas está recomendando que a secretária de Estado da Educação providencie a imediata reinserção dos alunos com deficiência nas atividades de ensino regulares nas escolas onde estão matriculados; recomendação acontece após o recebimento de denúncia de que os estudantes estão excluídos do direito à aprendizagem escolar por falta de pessoal de apoio e auxiliares de sala

O Ministério Público do Estado de Alagoas está recomendando que a secretária de Estado da Educação providencie a imediata reinserção dos alunos com deficiência nas atividades de ensino regulares nas escolas onde estão matriculados; recomendação acontece após o recebimento de denúncia de que os estudantes estão excluídos do direito à aprendizagem escolar por falta de pessoal de apoio e auxiliares de sala
O Ministério Público do Estado de Alagoas está recomendando que a secretária de Estado da Educação providencie a imediata reinserção dos alunos com deficiência nas atividades de ensino regulares nas escolas onde estão matriculados; recomendação acontece após o recebimento de denúncia de que os estudantes estão excluídos do direito à aprendizagem escolar por falta de pessoal de apoio e auxiliares de sala (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - A promotora de Justiça Cecília Carnaúba recomendou, nesta terça-feira (22), ao secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa, que providencie a imediata reinserção dos alunos com deficiência nas atividades de ensino regulares nas escolas onde estão matriculados. A recomendação acontece após o recebimento de denúncia de que os estudantes estão excluídos do direito à aprendizagem escolar por falta de pessoal de apoio e auxiliares de sala. 

De acordo com a recomendação, a 19ª Promotoria de Justiça tem recebido notícias de que há alunos com deficiência física e/ou mental, regularmente matriculados na rede estadual de ensino, para cursar o ano letivo de 2015, que estão impedidos de frequentar a escola porque nestas não há profissionais que os auxiliem e acompanhem em sala de aula e nas atividades necessárias ao convívio escolar. 

Na unidade Wandete de Castro, que funciona como centro de apoio à pessoa com deficiência, o funcionamento é insatisfatório justamente em virtude da falta de profissionais que possam dar apoio aos alunos. 

De acordo com a publicação, já foram formulados entendimentos verbais e encaminhados ofícios à Secretaria de Estado da Educação que relatavam situações específicas da falta de atendimento a alunos com deficiência matriculados na rede pública de ensino. Segundo a promotora, os ofícios não foram respondidos pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e nenhuma providência foi adotada, de modo que a ilegalidade permanece e tem prejudicado diversos estudantes. 

Com a recomendação, o MPE aguarda que a secretaria adote as providências necessárias para a reinserção dos alunos nas atividades regulares nas escolas. A iniciativa deve ser respondida em até 10 dias, a contar do seu recebimento. 

Gazetaweb tentou contato com a assessoria de comunicação da Seduc, mas as ligações não foram atendidas.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247