MPE denuncia grupo de extermínio

12 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público de Alagoas por participação em um grupo de extermínio e comércio ilegal de armas no município de Pilar, na grande Maceió; prisões foram feitas pela Polícia Federal durante a Operação “Tombstone”

12 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público de Alagoas por participação em um grupo de extermínio e comércio ilegal de armas no município de Pilar, na grande Maceió; prisões foram feitas pela Polícia Federal durante a Operação “Tombstone”
12 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público de Alagoas por participação em um grupo de extermínio e comércio ilegal de armas no município de Pilar, na grande Maceió; prisões foram feitas pela Polícia Federal durante a Operação “Tombstone” (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - O Ministério Público Estadual (MPE) informou, nesta sexta-feira (14), que ajuizou uma ação penal contra 12 pessoas acusadas de integrar um grupo de extermínio supostamente responsável por assassinatos e comércio ilegal de armas no Pilar nos anos de 2013 e 2014. Os acusados foram presos durante a operação “Tombstone”, deflagrada pela Polícia Federal em julho. 

Cleber Cardim Pinto, conhecido por “Baiano”; Paulo Henrique Santos Costa, o “Capitão Paulo Costa”; Geraldo Rafael dos Santos Junior; Márcio Carlos de Almeida, “o Márcio Som”; Russel Luiz Zaidan Cabral; Cícero Henrique dos Santos, o “Henrrique”; Silas Silva dos Santos; Edinaldo Nogueira da Silva Filho, o “Nogueira”; Antônio Correia da Silva, o “Chibata”; Felipe da Silva Soares, o “Felipe Bombado”; e Diego Alves Sampaio vão responder por constituir, organizar, integrar e manter grupo com a finalidade de praticar crimes previstos no Código Penal Brasileiro. 

“Conforme restou apurado, os acusados efetivamente integraram o mencionado grupo de extermínio, de forma sistemática e permanente, durante vários meses, realizando ações típicas desse tipo de associação criminosa”, destacou o Ministério Público Estadual no procedimento ajuizado no início de agosto.

O MPE acusa ainda Diego Sampaio por comércio ilegal de armamento, prática esta exercida também por Erasmo de Almeida. O Ministério Público pede que a Justiça determine a citação de todos os denunciados para que eles respondam pelos termos da ação penal até final julgamento e condenação, ouvindo-se as vítimas e as testemunhas relacionadas às ações criminosas.

Homicídios

De acordo com a apuração da Polícia Federal, o grupo de extermínio seria responsável pelos homicídios de Jefferson dos Santos da Silva, Jonathan dos Santos Ribeiro, Edvan Junior de Oliveira Mendonça, Jadson Silva Santos de Oliveira, Josivaldo Ferreira dos Santos, Tiago Pedro dos Santos, José Cristiano dos Santos Silva, Jefferson Rangel da Silva, Genilson Ferreira Duarte, Ana Laurentino Alves, Erivanderson de Melo Silva, Marcos Antônio Cassimiro, José Cícero da Silva Filho, José Anderson Ferreira dos Santos e um homem conhecido como “Boca”, todos nos anos de 2013. No ano seguinte, os acusados teriam assassinado José Flávio Freire da Silva Filho.

Cada homicídio será objeto de ação penal específica pelo Ministério Público Estadual. A pena por assassinato vai de 12 a 30 de reclusão, segundo o Código Penal Brasileiro.

Com gazetaweb.com

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email