MPE pede bloqueio de bens de Marcelo, Brito e Siqueira

Ministério Público Estadual (MPE) ingressou com mais 12 ações em que pede bloqueio de bens do governador Marcelo Miranda (PMDB), do ex-governador Siqueira Campos, do ex-secretário José Edmar Brito Miranda, do secretário estadual da Infraestrutura, Habitação e Serviços Públicos (Seinf), Sérgio Leão, além de 17 servidores públicos e das empresas Rivoli SPA, Emsa e Construsan; ações se referem ao contrato 403/1998, e apontam irregularidades na construção de pontes em 14 municípios; já são 80 processos apresentados pela força-tarefa do MPE que pedem o bloqueio de bens no valor de R$ 646,9 milhões referente a este contrato

Ministério Público Estadual (MPE) ingressou com mais 12 ações em que pede bloqueio de bens do governador Marcelo Miranda (PMDB), do ex-governador Siqueira Campos, do ex-secretário José Edmar Brito Miranda, do secretário estadual da Infraestrutura, Habitação e Serviços Públicos (Seinf), Sérgio Leão, além de 17 servidores públicos e das empresas Rivoli SPA, Emsa e Construsan; ações se referem ao contrato 403/1998, e apontam irregularidades na construção de pontes em 14 municípios; já são 80 processos apresentados pela força-tarefa do MPE que pedem o bloqueio de bens no valor de R$ 646,9 milhões referente a este contrato
Ministério Público Estadual (MPE) ingressou com mais 12 ações em que pede bloqueio de bens do governador Marcelo Miranda (PMDB), do ex-governador Siqueira Campos, do ex-secretário José Edmar Brito Miranda, do secretário estadual da Infraestrutura, Habitação e Serviços Públicos (Seinf), Sérgio Leão, além de 17 servidores públicos e das empresas Rivoli SPA, Emsa e Construsan; ações se referem ao contrato 403/1998, e apontam irregularidades na construção de pontes em 14 municípios; já são 80 processos apresentados pela força-tarefa do MPE que pedem o bloqueio de bens no valor de R$ 646,9 milhões referente a este contrato (Foto: Aquiles Lins)

Tocantins 247 - O Ministério Público Estadual (MPE) ingressou com mais 12 ações em que pede bloqueio de bens do governador Marcelo Miranda (PMDB), do ex-governador Siqueira Campos, do ex-secretário de Estado José Edmar Brito Miranda, do secretário estadual da Infraestrutura, Habitação e Serviços Públicos (Seinf), Sérgio Leão,17 servidores públicos e das empresas Rivoli SPA, Empresa Sul Americana de Montagens (Emsa) e Construsan Construtora e Incorporadora, num total de cerca de R$ 50 milhões. A informação é da edição desta quarta-feira, 22, do Jornal do Tocantins.

Conforme o jornal, as ações se referem ao contrato 403, de 1998, e o MPE aponta irregularidades na construção de pontes em Goianorte, Colinas do Tocantins, Araguaçu, Ponte Alta do Tocantins, Pindorama, Paraíso do Tocantins, Conceição do Tocantins, Paranã, Santa Tereza, Lagoa do Tocantins, Palmeirante, Riachinho, Wanderlândia e Marianópolis. As 12 ações estão tramitando na 3ª Vara de Feitos das Fazendas e Registros Públicos da Comarca de Palmas, com a juíza Silvana Parfieniuk.

Já são 80 processos apresentados pela força-tarefa do MPE que pedem o bloqueio de bens no valor de R$ 646,9 milhões. Os citados chegaram a ter bens bloqueados em primeira instância, mas o Tribunal de Justiça do Estado recebeu recursos e reformou a decisão.

Ao Jornal do Tocantins, o governador Marcelo Miranda, Brito Miranda e Sérgio Leão, disseram, via Secretaria Estadual de Comunicação (Secom), que é necessário tomar conhecimento das ações, mas destacou que as pontes questionadas anteriormente foram construídas e estão em uso.

A assessoria de comunicação de Siqueira Campos informou ao jornal que o ex-governador não iria se manifestar devido sua internação. Porém ressaltou, com base em reposta anterior sobre o mesmo assunto, que Siqueira firmou o contrato, porém a execução foi realizada pelo seu sucessor. (Com informações do Jornal do Tocantins)

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247