MPF vai apurar incêndio na Secretaria da Educação

"Em se tratando de bem tombado pelo Iphan, a atribuição para apurar a existência ou não de incêndio criminoso é do MPF", explica o procurador da República Vladimir Aras, coordenador do núcleo criminal do MPF-BA; incidente tem sido alvo de diversos protestos dos vereadores da oposição ao prefeito ACM Neto (DEM) pelo fato de haver contratos considerados 'suspeitos' da gestão passada com ONGs

MPF vai apurar incêndio na Secretaria da Educação
MPF vai apurar incêndio na Secretaria da Educação (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - O Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA) determinou nesta terça-feira (8) a investigação das causas do incêndio que destruiu mais de 70% das instalações da Secretaria Municipal da Educação de Salvador (Secult) na noite da última quinta-feira (3).

Secretaria funcionava no Solar Boa Vista, casarão do século 19 que foi moradia do poeta Castro Laves e é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

"Em se tratando de bem tombado pelo Iphan, a atribuição para apurar a existência ou não de incêndio criminoso é do MPF", explica o procurador da República Vladimir Aras, coordenador do núcleo criminal do MPF-BA.

O incidente tem sido alvo de diversos protestos dos vereadores da oposição ao prefeito ACM Neto (DEM) pelo fato de haver contratos considerados 'suspeitos' da gestão passada com ONGs, um deles com a Pierre Bourdier, no valor de R$ 60 milhões.

"Não é a primeira vez que, em gestões carlistas, uma secretaria pega fogo depois de denúncias. Foi assim no governo Paulo Souto, quando a Secretaria de Educação do Estado incendiou, na época em que o próprio ACM Neto trabalhava lá", afirmou o vereador Henrique Carballal, do PT, em entrevista ao Bahia Notícias na ocasião do incêndio.

O petista diz que é "estranho" o incidente na Secult na primeira semana de governo do democrata. "Agora, depois de suspeitas de improbidade e malversação de recursos públicos na contratação de ONGs ela queima? Nós queremos que haja uma investigação rigorosa, pois, na nossa opinião, de fato, onde há fumaça, há fogo".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email