MST ocupa fazenda de ex-deputado Pedro Corrêa

Cerca de 100 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra (MST) ocuparam as terras da Fazenda Boa Esperança, no Agreste pernambucano; terreno, com aproximadamente 800 hectares pertence ao ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE), condenado a 7,2 anos de prisão na Ação Penal 470, o chamado escândalo do mensalão, e que também é investigado pela Operação Lava Jato; família vai pedir a reitengração de posse e dissea que  a ocupaçao é uma retaliação ao acordo de delação premiada que o ex-deputado negocia com a Justiça e que pode envolver diretamente o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no esquema de corrupção da Petrobras investigado pela Lava Jato  

Cerca de 100 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra (MST) ocuparam as terras da Fazenda Boa Esperança, no Agreste pernambucano; terreno, com aproximadamente 800 hectares pertence ao ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE), condenado a 7,2 anos de prisão na Ação Penal 470, o chamado escândalo do mensalão, e que também é investigado pela Operação Lava Jato; família vai pedir a reitengração de posse e dissea que  a ocupaçao é uma retaliação ao acordo de delação premiada que o ex-deputado negocia com a Justiça e que pode envolver diretamente o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no esquema de corrupção da Petrobras investigado pela Lava Jato
 
Cerca de 100 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra (MST) ocuparam as terras da Fazenda Boa Esperança, no Agreste pernambucano; terreno, com aproximadamente 800 hectares pertence ao ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE), condenado a 7,2 anos de prisão na Ação Penal 470, o chamado escândalo do mensalão, e que também é investigado pela Operação Lava Jato; família vai pedir a reitengração de posse e dissea que  a ocupaçao é uma retaliação ao acordo de delação premiada que o ex-deputado negocia com a Justiça e que pode envolver diretamente o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no esquema de corrupção da Petrobras investigado pela Lava Jato   (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - Cerca de 100 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra (MST) ocuparam as terras da Fazenda Boa Esperança, em Brejo da Madre de Deus, no Agreste de Pernambuco. A área, com aproximadamente 800 hectares pertence ao ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE). O ex-parlamentar foi condenado a 7,2 anos de prisão na Ação Penal 470, o chamado escândalo do mensalão, e é investigado pela Operação Lava Jato, que apura casos de desvios e corrupção na Petrobras.

O advogado e primo de Pedro Corrêa, Clóvis Corrêa, informou que a família vai pedir a reintegração de posse e atribuiu a ocupação às tratativas que o ex-parlamentar está fazendo para fechar um acordo de delação premiada com a Justiça no âmbito da Operação Lava Jato. 

"A fazenda é de nossa propriedade há mais de 50 anos. É uma terra produtiva e nunca teve invasão, nem ameaça de invasão. E eu fico preocupado com a integridade física da minha família. Quem pode fazer isso, pode fazer tudo", disse o filho do ex-parlamentar, Fábio Corrêa.

Um dos líderes do MST José Aglailson informou que o movimento decidiu ocupar a fazenda em razão das denúncias de corrupção envolvendo Pedro Corrêa. "Não é um apoio ao governo federal. Não tem nada a ver. Ele é uma pessoa que está presa sob denúncia de corrupção. Onde houver fazendas dessas pessoas que estão envolvidas com corrupção, o MST do Estado de Pernambuco tem um encaminhamento para ocupar todas", destacou.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247