"Muro separa Brasil real do artificial de Brasília"

O governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, disse que os jovens terão um papel fundamental nas eleições de outubro; segundo ele, "parece que tem um muro que separa o Brasil real do Brasil artificial lá de Brasília", e parte deste muro já teria sido derrubado durante as manifestações populares que ganharam as ruas em várias cidades do Brasil em junho do ano passado

O governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, disse que os jovens terão um papel fundamental nas eleições de outubro; segundo ele, "parece que tem um muro que separa o Brasil real do Brasil artificial lá de Brasília", e parte deste muro já teria sido derrubado durante as manifestações populares que ganharam as ruas em várias cidades do Brasil em junho do ano passado
O governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, disse que os jovens terão um papel fundamental nas eleições de outubro; segundo ele, "parece que tem um muro que separa o Brasil real do Brasil artificial lá de Brasília", e parte deste muro já teria sido derrubado durante as manifestações populares que ganharam as ruas em várias cidades do Brasil em junho do ano passado (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - O governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, disse que os jovens terão um papel fundamental nas eleições majoritárias de outubro. Segundo ele, "Parece que tem um muro que separa o Brasil real do Brasil artificial lá de Brasília", e parte deste muro já teria sido derrubado durante as manifestações populares que ganharam as ruas em várias cidades do Brasil em junho do ano passado.

Segundo ele, a outra parte do muro virá abaixo nas eleições. "Os jovens brasileiros precisam nos ajudar com energia, participação e espírito crítico a mudar o Brasil. Limpar a política, votar com dignidade”, afirmou durante uma conversa online com internautas altas a realização do encontro programático PSB/Rede/PPS, neste sábado (15), no Rio de Janeiro.

Além de defender a participação dos jovens na política, Campos também discorreu sobre outros temas, como a sustentabilidade, uma das bandeiras da Rede Sustentabilidade, da ex-senadora Marina Silva, cotada para ser a vice na chapa do socialista. O governador também voltou a criticar a política econômica do governo da presidente Dilma Rousseff (PT).  “Uma das maneiras mais objetiva do juro baixar é o País não tomar também tanto dinheiro emprestado. Quando se tem regras mais claras e as regras são efetivamente cumpridas, também ajuda a baixar os juros", disse.

 O presidenciável disse, ainda, que o País vive um momento “complicado”, "em que o crescimento diminuiu, a inflação aumentou e os juros aumentaram”.  "Não se arruma a economia com decreto, com fala, é com trabalho. O conjunto da política tem que estar harmonizada numa visão. Não se faz isso se ficarmos só administrando a taxa de juros”, disparou.

Campos também negou qualquer tipo de especulação sobre a possibilidade de extinguir o Bolsa-Família. "É mesma coisa que dizer que vai acabar o salário mínimo. Bolsa- Família é algo que foi incorporado como um direito do povo brasileiro. Um direito conquistado", observou.  O socialista taxou de "terrorismo eleitoral" as especulações de que ele teria intenção de acabar com o programa, mas disse que é possível aprimorar o seu funcionamento. "Precisamos melhorar as coisas. Tem muita coisa para melhorar, inclusive o Bolsa Família”, afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email