Mutirão de limpeza recolhe toneladas de lixo na orla de Maceió

Trabalho iniciou ainda na madruga e deve durar toda a segunda-feira 1º na capital; cerca de 500 garis foram escalados para o serviço pesado após o Réveillon; alguns deles iniciaram a jornada por volta das 4h30

Trabalho iniciou ainda na madruga e deve durar toda a segunda-feira 1º na capital; cerca de 500 garis foram escalados para o serviço pesado após o Réveillon; alguns deles iniciaram a jornada por volta das 4h30
Trabalho iniciou ainda na madruga e deve durar toda a segunda-feira 1º na capital; cerca de 500 garis foram escalados para o serviço pesado após o Réveillon; alguns deles iniciaram a jornada por volta das 4h30 (Foto: Gisele Federicce)

Por Thiago Gomes e Patrícia Mendonça, da Gazetaweb - Todo ano a cena se repete. Famílias inteiras escolhem a orla de Maceió para celebrar o réveillon, curtem o momento especial com a tradicional queima de fogos, regados a muitas bebidas e consumo de alimentos.

Ao fim da festa, os inconsequentes vão embora e deixam um rastro de sujeita. E, para manter a cidade limpa, a prefeitura sempre mobiliza um grupo de garis para o trabalho, que inicia ainda de madrugada.

Neste dia 1º de janeiro, toneladas de lixo já foram recolhidas no trecho entre as praias de Pajuçara e Cruz das Almas, na capital. Cerca de 500 garis foram escalados para o serviço pesado. Alguns deles iniciaram a jornada por volta das 4h30.

Segundo o gari Jeffersson Alves, somente até as 9h30, as equipes de limpeza já haviam recolhido uma quantidade de lixo equivalente ao que recolhem durante toda a semana. Ainda durante o dia de hoje mais duas equipes estarão compondo o mutirão. Boa parte da orla já estava sem sinais de latinhas e garrafas pet, recolhidas em maior quantidade este ano.

"É inadmissível a quantidade de lixo recolhida. Só tem limpeza porque tem quem suje. Se as pessoas fossem mais conscientes seria dispensável grande parte deste serviço", avalia o morador do bairro da Ponta Verde, Josivaldo Menezes.

A prefeitura vai deixar equipes na orla durante o dia inteiro para limpar a sujeira que as pessoas devem deixar neste primeiro dia do ano.
"Se pessoas colocassem o lixo no saco estariam nos ajudando muito e contribuindo para o próprio bem-estar, já que andam no meio da sujeira", avalia o gari Jeffersson.

CATADORA

Por outro lado, a catadora de lixo Micaeli Barbosa conta que é muito bom quando há festas e movimentos, pois ela consegue faturar um pouco mais. "Ganho um dinheirinho extra", relata.

Micaeli disse que iniciou o trabalho às 15h desse domingo e só terminou às 7h30 desta segunda (1º). Diz que catou uma quantidade de latinhas equivalente a cerca de R$ 70.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247