Na Paraíba, Campos critica o "arranjo de Brasília"

O governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, voltou a criticar a gestão da presidente Dilma Rousseff (PT), ao pontuar a diminuição nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e afirmar que “o arranjo de Brasília não representa mais a sociedade”; “Os prefeitos estão todos quebrados, em todo o canto, porque todo dia cai a receita dos municípios e Estados. O arranjo de Brasília não representa mais a sociedade”, disse durante viagem a João Pessoa (PB), onde recebeu o título de Cidadão Pessoense

RECIFE,PE,26.11.2013:EDUARDO CAMPOS/INAGURAÇÃO/INSTITUTO CONFÚCIO - O governador de Pernambuco, Eduardo Campos inaugura o Instituto Confúcio na Universidade de Pernambuco (UPE), em Recife (PE), nesta terça-feira (26). A entidade sem fins lucrativos com se
RECIFE,PE,26.11.2013:EDUARDO CAMPOS/INAGURAÇÃO/INSTITUTO CONFÚCIO - O governador de Pernambuco, Eduardo Campos inaugura o Instituto Confúcio na Universidade de Pernambuco (UPE), em Recife (PE), nesta terça-feira (26). A entidade sem fins lucrativos com se (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - O governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, voltou a criticar a gestão da presidente Dilma Rousseff (PT), ao pontuar a diminuição nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e afirmar que “o arranjo de Brasília não representa mais a sociedade” e que a União deve atuar mais firmemente no que diz respeito ao desenvolvimento do Nordeste. “Os prefeitos estão todos quebrados, em todo o canto, porque todo dia cai a receita dos municípios e Estados. O arranjo de Brasília não representa mais a sociedade”, disse campos em entrevista a uma rádio de João Pessoa nesta quinta-feira (12). O governador viajou ao estado vizinho para receber o título Cidadão Pessoense, em João Pessoa (PA).

“É o momento de nos unirmos, sair do jogo que muitos tentaram nos levar. O Nordeste precisa melhorar, e o Brasil precisa fazer mais pela região”, acrescentou. O governador também criticou os políticos que veem a região nordestina apenas como um “curral eleitoral”, assim como as medidas implementadas pelo Governo Federal para enfrentar a estiagem que assola a Região, considerada a pior dos últimos 50 anos.

“A situação poderia estar melhorando, se tivéssemos a obra da adutora ou a Transposição do Rio São Francisco”, disparou. A Adutora do Nordeste tem previsão de iniciar as operações em outubro de 2014, já a Transposição do São Francisco tem previsão de concluir o eixo leste em 2017. O pessebista também afirmou que é necessário “tirar o formato patrimonialista” sobre a paternidade das obras e projetos em implantação nos vários estados da Região.

Em 2013, o governador já recebeu o título de cidadão da Bahia, do Piauí e de Sergipe. As titulações fazem parte da estratégia do PSB que visa tornar o gestor mais conhecido pelo eleitorado nacional em função das eleições presidenciais de 2014. Dentre os demais colocados para disputar a eleição presidencial do próximo anos, como a presidente Dilma e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), Campos é considerado o candidato mais desconhecido para concorrer ao pleito.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247