Na Rússia, incêndio em discoteca condenou sete

Motivo da tragédia que matou 156 pessoas na cidade de Perm, nos Urais, em 2009, foi o mesmo que, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, deixou 241 mortos: um show pirotécnico. Nesta terça-feira, sete pessoas receberam penas de até nove anos, entre elas um dos donos da boate, condenado de homicídio por negligência e falta de segurança. No Brasil, oito são investigados por incêndio na Boate Kiss

Na Rússia, incêndio em discoteca condenou sete
Na Rússia, incêndio em discoteca condenou sete

Da Agência Lusa

Da Brasília - As autoridades russas condenaram nesta terça-feira (30) a penas de até nove anos sete pessoas acusadas pelo incêndio que matou 156 pessoas em uma discoteca em 2009, provocado por um espetáculo pirotécnico. Apesar de alegar inocência, Anatoly Zak, um dos donos do clube noturno Cavalo Coxo, na cidade de Perm, nos Urais, foi condenado a uma pena de nove anos e dez meses por homicídio por negligência e falta de segurança, disseram as autoridades judiciais de Perm.

Mais de 300 pessoas estavam em uma festa na discoteca, que tinha apenas uma pequena saída. Um espetáculo com pirotecnia ilegal incendiou partes da decoração que derreteram e emitiram gases tóxicos. A maior parte das pessoas morreu sufocada sem conseguir encontrar a saída: 83 pessoas ficaram gravemente feridas e várias ainda não se recuperaram. Seis acusados foram condenados a penas entre quatro e seis anos e o responsável regional pelas inspeções de segurança foi multado.

No ano passado, o diretor comercial da discoteca, Konstantin Mrykhin, foi condenado a seis anos e meio de prisão. Ele fugiu para a Espanha depois do desastre, mas foi preso e extraditado em 2011. O juiz determinou ainda indenizações no valor de cerca de 37 mil euros para cada família dos mortos.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247