"Não alimentamos ódio. Viva a democracia", diz Guimarães

Parlamentares petistas se manifestaram nas redes sociais em resposta às manifestações de ontem ao redor do País. Líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE) destacou que a democracia brasileira foi construída com muita luta e que defendê-la é um de seus objetivos. "Não alimentemos o ódio contra aqueles que têm ódio e intolerância contra nosso governo. Nossa resposta: viva a Democracia e a República!"

Parlamentares petistas se manifestaram nas redes sociais em resposta às manifestações de ontem ao redor do País. Líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE) destacou que a democracia brasileira foi construída com muita luta e que defendê-la é um de seus objetivos. "Não alimentemos o ódio contra aqueles que têm ódio e intolerância contra nosso governo. Nossa resposta: viva a Democracia e a República!"
Parlamentares petistas se manifestaram nas redes sociais em resposta às manifestações de ontem ao redor do País. Líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE) destacou que a democracia brasileira foi construída com muita luta e que defendê-la é um de seus objetivos. "Não alimentemos o ódio contra aqueles que têm ódio e intolerância contra nosso governo. Nossa resposta: viva a Democracia e a República!" (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará 247 - Em respostas às manifestações na tarde de ontem (16), parlamentares petistas se manifestaram pelas redes sociais na defesa do Estado democrático de Direito. “A democracia brasileira foi construída com muita luta! Vamos defendê-la sempre. Não alimentemos o ódio contra aqueles que têm ódio e intolerância contra nosso governo. Nossa resposta: viva a Democracia e a República!”, divulgou o deputado federal José Guimarães (PT-CE) no Twitter.

Para os líderes do governo e do PT no Senado Federal, Delcídio Amaral (PT-MS) e Humberto Costa (PT-PE), o arrefecimento das manifestações, em comparação ao que aconteceu em março deste ano, se deve ao envolvimento de políticos ligados à oposição no Congresso Nacional e à mobilização da base aliada junto a empresários a favor da normalidade democrática.

No primeiro período, de acordo com estimativas da Polícia Militar em todo Brasil, o número de pessoas que foi às ruas protestar contra o governo foi de 1 milhão. Agora, a estimativa gira em torno de 900 mil. “Muitas coisas esta semana enfraqueceram as manifestações, como o acordo do Senado com o governo. O povo brasileiro tem consciência, tem acesso à informação, não entra no embalo de alguns”, analisa Delcídio Amaral.

Para o líder do PT na Casa, senador Humberto Costa (PE), a população já percebeu que não há base legal e constitucional para o impeachment neste momento. “As pessoas estão cansadas. Viram, com o tempo, que não tem base legal e constitucional e entendem que o governo tem ainda um certo tempo de se recuperar”, disse.

Embora afirme que não há base para o impeachment, Costa considera que, mesmo menores, as manifestações continuam sendo expressivas. “O fato de serem menores não significa que a insatisfação com o governo diminuiu. Muitas coisas estão começando a ser revertidas mas ainda é preciso que governo apresente soluções melhores para a economia”, disse.

 

(Com informações da assessoria)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email