"Não estamos pensando em reduzir empregos"

Dilma responde, em discurso, a propostas de analistas que preveem desemprego em prol de menor inflação; em cerimônia de posse da nova presidência da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), presidente fez novo apelo pela aprovação da MP dos Portos, voltou a falar dos royalties para a Educação e da importância das micro e pequenas empresas para o País; "Não faltará apoio para o fortalecimento dos pequenos negócios", prometeu; ela elogiou ainda a atuação do vice-governador, Guilherme Afif Domingos (PSD), que deve assumir o comando da Secretaria da Micro e Pequena Empresa

"Não estamos pensando em reduzir empregos"
"Não estamos pensando em reduzir empregos"

SP 247 – O setor de micro e pequenas empresas foi fortemente destacado pela presidente Dilma Rousseff nesta segunda-feira 6, durante cerimônia de posse de Rogério Amato como presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) e da Associação Comercial de São Paulo, no centro da capital paulista. "As micro e pequenas empresas, sem excluir as médias, fortalecem o tecido econômico" do País, afirmou Dilma.

Segundo ela, "esse País precisa de forma estrutural de suas micro e pequenas empresas, em todas as áreas", uma vez que elas aumentam as rendas e geram empregos. A presidente também ressaltou que "esse Brasil que alguns tendem a subestimar" – numa provocação aos analistas da mídia tradicional e à oposição – vê a economia crescer e a renda da população aumentar. Por isso, garantiu: "Não estamos pensando em reduzir empregos".

Para facilitar o acesso ao crédito, Dilma lembrou que foram alteradas as regras do Programa de Operações de Microcrédito Produtivo Orientado (Crescer), que concede financiamento, por meio de bancos públicos, de até R$ 15 mil a microempreendedores individuais. A taxa de juros, conforme anunciou em seu discurso, antes de ser aplaudida, passou de 8% para 5%. "Não faltará apoio para o fortalecimento dos pequenos negócios", prometeu.

No mesmo dia em que o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos (PSD), pode ser anunciando como o responsável pela Secretaria da Micro e Pequena Empresa – criada com status de ministério – a presidente não poupou elogios e até homenageou Afif por sua atuação no setor. Segunda ela, a área é "estratégica" para o País e a Secretaria será "essencial" para a economia. "A Secretaria dará passo na criação de um ambiente legal mais favorável ao empreendedorismo no Brasil", afirmou.

Apelos

Em um novo apelo pela aprovação da Medida Provisória que regulamenta o setor portuário, Dilma afirmou que a medida será "essencial para quebrar monopólios e garantir a eficiência da logística no País". O discurso sobre o tema foi feito na mesma linha do proferido na última sexta-feira, durante evento de pecuária em Uberaba, Minas Gerais, quando ela disse que confiava na "sensibilidade" do Congresso ao avaliar a proposta.

Outra questão que precisa de consenso, lembrou a presidente, é a destinação dos royalties do petróleo para a Educação, proposta que não é "trivial", segundo ela. "O país precisa de recursos p/ garantir creches, alfabetização na idade certa e ensino integral", afirmou. A presidente disse ainda que "não podemos abrir mão de formar trabalhadores para fortalecer a nossa competitividade" e  finalizou destacando que "o nosso grande recurso para além do petróleo, do minério e da agricultura são os brasileiros e as brasileiras".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247