Nem tão amigo de Campos, Dirceu chega ao Recife

O ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu (PT) será o palestrante do evento “O decênio que mudou o Brasil”, hoje (15), às 19h, no Praia Hotel, bairro do Pina, Zona Sul do Recife, sobre as conquistas do Partido dos Trabalhadores nos dez anos frente à Presidência da República; inicialmente fora da maratona de visitas do ex-ministro, o Recife teria sido incluído pela potencial candidatura do governador Eduardo Campos (PSB) à Presidência da República em 2014

Nem tão amigo de Campos, Dirceu chega ao Recife
Nem tão amigo de Campos, Dirceu chega ao Recife (Foto: Marlene Bergamo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PE247 – O ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu (PT) será o palestrante do evento “O decênio que mudou o Brasil”, hoje (15), às 19h, no Praia Hotel, bairro do Pina, Zona Sul do Recife, sobre as conquistas do Partido dos Trabalhadores nos dez anos frente à Presidência da República. A capital pernambucana estava fora da lista das cidades escolhidas para a realização de caravanas, porém foi incluída porque o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), já é tratado como adversário da presidente Dilma Rousseff (PT) nas eleições 2014.

Durante a palestra, o ex-ministro, condenado a dez de prisão do caso do Mensalão, deverá reforçar o discurso da presidente Dilma de que o Governo Federal teve e continua tendo um papel fundamental no crescimento da economia pernambucana, que fica acima da média nacional. É sabido que Dirceu e Campos não mantém uma relação amistosa. O petista foi um dos que deixou clara a sua posição sobre a necessidade de derrotar o projeto de Campos, nas eleições municipais do ano passado, quando o gestor lançou o então secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, como candidato a prefeito do Recife.

Vale ressaltar que o ex-ministro chegou a dizer, neste ano, que o PT “dormiu” com relação às movimentações do gestor pernambucano. Nos bastidores, comentou-se de que Dirceu teria um encontro com o governador Eduardo Campos, mas não houve algo de concreto neste sentido. De todo modo, manter uma relação de “inimigo aliado” deve ser a postura não apenas de Dirceu, mas também de vários outros integrantes do PT, sobretudo da presidente Dilma, para não causar um rompimento e, em consequência, passar a ideia de que o Partido dos Trabalhadores venha a ser o responsável pela legenda socialista abandonar a base do governo da presidente Dilma e romper com uma aliança histórica.

Em sua passagem pelo Estado, o ex-ministro, além de proferir o seu discurso sobre a gestão petista nesses dez anos de poder, também se encontrará com representantes sindicais, integrantes da Juventude Petista, da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247