Neris acusa Amastha de ser “o cara da Odebrecht no TO”

O vereador Milton Neris (PP) afirmou haver "claros indícios" de que o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, "está envolvido no esquema de Odebrecht"; em delação premiada, o ex-diretor da Odebrecht Ambiental Fernando Reis disse não ter pago "absolutamente nada" ao prefeito dos R$ 240 milhões da universalização da coleta e tratamento do esgoto da Capital; segundo o parlamentar, o chefe do executivo municipal "conseguiu da Odebrecht uma bagatela de R$ 19,2 milhões, que correspondem a 8% dos R$ 240 milhões, para investir onde ele mandasse"; "Amastha passou a ser o cara da Odebrecht no Estado do Tocantins, mandando fazer obras e a Odebrecht pagando e agora fica falando mal dos outros", disse; "O Amastha está enfiado até o pescoço dentro da Odebrecht e vai ter que dar explicação nesta Casa"

O vereador Milton Neris (PP) afirmou haver "claros indícios" de que o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, "está envolvido no esquema de Odebrecht"; em delação premiada, o ex-diretor da Odebrecht Ambiental Fernando Reis disse não ter pago "absolutamente nada" ao prefeito dos R$ 240 milhões da universalização da coleta e tratamento do esgoto da Capital; segundo o parlamentar, o chefe do executivo municipal "conseguiu da Odebrecht uma bagatela de R$ 19,2 milhões, que correspondem a 8% dos R$ 240 milhões, para investir onde ele mandasse"; "Amastha passou a ser o cara da Odebrecht no Estado do Tocantins, mandando fazer obras e a Odebrecht pagando e agora fica falando mal dos outros", disse; "O Amastha está enfiado até o pescoço dentro da Odebrecht e vai ter que dar explicação nesta Casa"
O vereador Milton Neris (PP) afirmou haver "claros indícios" de que o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, "está envolvido no esquema de Odebrecht"; em delação premiada, o ex-diretor da Odebrecht Ambiental Fernando Reis disse não ter pago "absolutamente nada" ao prefeito dos R$ 240 milhões da universalização da coleta e tratamento do esgoto da Capital; segundo o parlamentar, o chefe do executivo municipal "conseguiu da Odebrecht uma bagatela de R$ 19,2 milhões, que correspondem a 8% dos R$ 240 milhões, para investir onde ele mandasse"; "Amastha passou a ser o cara da Odebrecht no Estado do Tocantins, mandando fazer obras e a Odebrecht pagando e agora fica falando mal dos outros", disse; "O Amastha está enfiado até o pescoço dentro da Odebrecht e vai ter que dar explicação nesta Casa" (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - O vereador Milton Neris (PP) afirmou haver "claros indícios" de que o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, "está envolvido no esquema de Odebrecht". Em delação premiada, o ex-diretor da Odebrecht Ambiental Fernando Reis disse não ter pago "absolutamente nada” ao prefeito dos R$ 240 milhões da universalização da coleta e tratamento do esgoto da Capital. O parlamentar disse que o chefe do executivo municipal "conseguiu da Odebrecht uma bagatela de R$ 19,2 milhões, que correspondem a 8% dos R$ 240 milhões, para investir onde ele mandasse". "Amastha passou a ser o cara da Odebrecht no Estado do Tocantins, mandando fazer obras e a Odebrecht pagando e agora fica falando mal dos outros", disse Milton Neris.

De acordo com o vereador, "o prefeito baixou Decreto de nº 508, de 18 de junho de 2013, criando uma comissão, para analisar a concessão da Saneatins que teve uma mudança acionária para a Odebrecht, que não realizou nenhuma atividade".

Neris disse que, na época, o prefeito afirmou em várias oportunidades que "não assinaria o empréstimo de R$ 240 milhões para a empresa junto a Caixa Econômica Federal, no qual está envolvido recursos do FGTS, assinando em 6 de setembro de 2013, menos de um mês depois, com as presenças do vereador Gerson, deputado César Halum e do delator Mario Amaro".

"Estou preocupado agora depois que votei na Agência de Regulação, e sabe porquê? Porque ele só mandou o projeto da Agência depois que o grupo canadense comprou 70% da Odebrecht Ambiental e eu estou entendendo que ele fez isso pra colocar a faca no pescoço desse outro grupo para extorquir deles como extorquiu da Odebrecht R$ 40 milhões é isso que eu estou entendendo e não faço parte desta malandragem", disparou.

Neris também comentou sobre um contrato que o prefeito teria mandado a Odebrecht fazer com a Saudibrás Agropecuária Empreendimento e Representação Ltda, para executar obras de R$ 15 milhões no final de 2013. No contrato, consta planilhas que não estão assinadas pela Secretária de Infraestrutura, correspondendo a R$ 2.773.790,23. "Aonde está o resto dos R$ 15 milhões?", questionou "A Saneatins disse que está tudo com a prefeitura e a prefeitura disse que está com a Saneatins", acrescentou o vereador, ao contestar outros quatro contratos.

"O Marcelo Odebrecht operou no Brasil inteiro pagando para não ter dificuldades, será que ele pagou mais dos R$ 19,2 milhões para não ter dificuldade em Palmas? Porque diz na matéria do delator que o problema era Palmas, que teve intervenção de senadores, ex-governador, o problema era Palmas, era o Amastha. O Amastha está enfiado até o pescoço dentro da Odebrecht e vai ter que dar explicação nesta Casa", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247