Neymar vira réu na Espanha por fraude fiscal

O juiz espanhol José de la Mata aceitou o pedido do Ministério Público do Espanha e determinou a reabertura do processo contra o jogador Neymar por corrupção e fraude fiscal; em julho, o mesmo juiz havia decidido por arquivar o processo, mas o fundo de investimentos DIS, que se considerou lesada com a transferência do brasileiro, abriu uma queixa-crime junto ao órgão federal em Madri; além de Neymar e o pai, responderão criminalmente o presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, e o ex-presidente do clube catalão, Sandro Rosell

O juiz espanhol José de la Mata aceitou o pedido do Ministério Público do Espanha e determinou a reabertura do processo contra o jogador Neymar por corrupção e fraude fiscal; em julho, o mesmo juiz havia decidido por arquivar o processo, mas o fundo de investimentos DIS, que se considerou lesada com a transferência do brasileiro, abriu uma queixa-crime junto ao órgão federal em Madri; além de Neymar e o pai, responderão criminalmente o presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, e o ex-presidente do clube catalão, Sandro Rosell
O juiz espanhol José de la Mata aceitou o pedido do Ministério Público do Espanha e determinou a reabertura do processo contra o jogador Neymar por corrupção e fraude fiscal; em julho, o mesmo juiz havia decidido por arquivar o processo, mas o fundo de investimentos DIS, que se considerou lesada com a transferência do brasileiro, abriu uma queixa-crime junto ao órgão federal em Madri; além de Neymar e o pai, responderão criminalmente o presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, e o ex-presidente do clube catalão, Sandro Rosell (Foto: Aquiles Lins)

247 - O juiz espanhol José de la Mata aceitou o pedido do Ministério Público do Espanha e determinou a reabertura do processo contra o jogador Neymar, seu pai e ex-dirigentes do Barcelona por corrupção e fraude fiscal. 

Em julho, o mesmo juiz havia decidido por arquivar o processo, mas o fundo de investimentos DIS, que se considerou lesada com a transferência do brasileiro, abriu uma queixa-crime junto ao órgão federal em Madri.

Além de Neymar e o pai, responderão criminalmente o presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, e o ex-presidente do clube catalão, Sandro Rosell (que presidia o Barça na época da contratação de Neymar).

O juiz espanhol propôs que sejam julgados por delitos relacionados à transferência de Neymar para o Barcelona. O próprio clube também deve ser julgado.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247