No Dia da Inconfidência, Mujica denuncia ao mundo o golpe brasileiro

Homenageado nesta quinta (21), com o Grande Colar, da Comenda de Minas Gerais, o ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, falou sobre a crise política do Brasil; ele condenou a negação da política e defendeu a democracia; Mujica também reforçou a necessidade de unidade dos países da América Latina; "Necessitamos da política, o homem é um animal político. A função da política é impor limite às dores e às injustiças. É lutar por um mundo melhor, buscando conciliar permanentemente as diferenças. Não é função da política esmagar as diferenças. O pior resultado para as novas gerações diante do conflito que está vivendo o Brasil é que se termine com a conclusão de que a política não serve para nada. Há que se salvar a política, isto é um problema do Brasil", afirmou

Homenageado nesta quinta (21), com o Grande Colar, da Comenda de Minas Gerais, o ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, falou sobre a crise política do Brasil; ele condenou a negação da política e defendeu a democracia; Mujica também reforçou a necessidade de unidade dos países da América Latina; "Necessitamos da política, o homem é um animal político. A função da política é impor limite às dores e às injustiças. É lutar por um mundo melhor, buscando conciliar permanentemente as diferenças. Não é função da política esmagar as diferenças. O pior resultado para as novas gerações diante do conflito que está vivendo o Brasil é que se termine com a conclusão de que a política não serve para nada. Há que se salvar a política, isto é um problema do Brasil", afirmou
Homenageado nesta quinta (21), com o Grande Colar, da Comenda de Minas Gerais, o ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, falou sobre a crise política do Brasil; ele condenou a negação da política e defendeu a democracia; Mujica também reforçou a necessidade de unidade dos países da América Latina; "Necessitamos da política, o homem é um animal político. A função da política é impor limite às dores e às injustiças. É lutar por um mundo melhor, buscando conciliar permanentemente as diferenças. Não é função da política esmagar as diferenças. O pior resultado para as novas gerações diante do conflito que está vivendo o Brasil é que se termine com a conclusão de que a política não serve para nada. Há que se salvar a política, isto é um problema do Brasil", afirmou (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Homenageado nesta quinta-feira (21), com o Grande Colar, da Comenda de Minas Gerais, o ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, falou sobre a crise política do Brasil. Ele condenou a negação da política e defendeu a democracia. Mujica também defendeu a unidade dos países da América Latina.

Leia aqui a matéria anterior sobre o discurso do governador Fernando Pimentel.

Abaixo os principais trechos do discurso de Mujica:

"A vida me ensinou uma coisa: os únicos derrotados são os que desistiram de lutar. Não há um prêmio no final do caminho. O prêmio é o próprio caminho. Nossa luta é muito velha. São falsos os termos "direita" e "esquerda". Na realidade são caras permanentes da condição humana, que sempre aparecem na história" 

"A democracia nunca se conheceu perfeitamente, é uma construção humana. Por isso, porque somos diferentes, porque nascemos em lugares distintos e pertencemos a classes distintas, a sociedade terá sempre conflitos. Por isso, não podemos viver sós" 

"Necessitamos da política, o homem é um animal político. A função da política é por limite as dores e as injustiças. É lutar por um mundo melhor, buscando conciliar permanentemente as diferenças. Não é função da política não é esmagar as diferenças. O pior resultado para as novas gerações no conflito que está vivendo o Brasil é terminar com a conclusão de que a política não serve para nada. Há que se salvar a política, isto é um problema do Brasil"

"Pior do que as derrotas é o desencanto. Viver é construir esperança, esperança em um mundo melhor. O que seria da vida sem utopias e sonhos?" 

"O Brasil é muito grande e forte. Tem muitas feridas. Tem que defender o país. Temos que entender que o desafio agora é outro: estamos construindo unidades mundiais, como a União Europeia. Se não conseguirmos uma voz comum na América, não adiantará de nada. Os fracos precisam se unir para ser fortes"

"Me sinto muito uruguaio, sou brasileiro de coração, minha pátria é a América Latina"

"Democracia não é votar só a cada quatro anos, é acrescentar o sentimento da igualdade máxima".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247