No dia da prisão de Cunha, Aécio fala sobre juros

No dia em que o ex-deputado Eduardo Cunha foi preso, abalando Brasília, a única declaração pública do senador e presidente do PSDB, Aécio Neves, foi sobre a taxa básica de juros e a votação da PEC 241; "A primeira redução da taxa de juros em quatro anos, definida há pouco pelo Copom, é um indicador de que a economia do país começa a caminhar de volta para a normalidade de onde os governos do PT a retiraram", postou o tucano em seu Facebook, depois de um dia de silêncio sobre a prisão do aliado no processo de impeachment de Dilma Rousseff

No dia em que o ex-deputado Eduardo Cunha foi preso, abalando Brasília, a única declaração pública do senador e presidente do PSDB, Aécio Neves, foi sobre a taxa básica de juros e a votação da PEC 241; "A primeira redução da taxa de juros em quatro anos, definida há pouco pelo Copom, é um indicador de que a economia do país começa a caminhar de volta para a normalidade de onde os governos do PT a retiraram", postou o tucano em seu Facebook, depois de um dia de silêncio sobre a prisão do aliado no processo de impeachment de Dilma Rousseff
No dia em que o ex-deputado Eduardo Cunha foi preso, abalando Brasília, a única declaração pública do senador e presidente do PSDB, Aécio Neves, foi sobre a taxa básica de juros e a votação da PEC 241; "A primeira redução da taxa de juros em quatro anos, definida há pouco pelo Copom, é um indicador de que a economia do país começa a caminhar de volta para a normalidade de onde os governos do PT a retiraram", postou o tucano em seu Facebook, depois de um dia de silêncio sobre a prisão do aliado no processo de impeachment de Dilma Rousseff (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - No dia em que o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi preso pela Polícia Federal, por determinação do juiz Sérgio Moro, abalando Congresso Nacional e Palácio do Planalto, a única declaração pública do senador e presidente do PSDB, Aécio Neves, foi sobre a redução na taxa básica de juros pelo Copom, depois de quatro anos de alta.

"A primeira redução da taxa de juros em quatro anos, definida há pouco pelo Copom, é um indicador de que a economia do país começa a caminhar de volta para a normalidade de onde os governos do PT a retiraram", postou o tucano em sua página no Facebook, depois de um dia de silêncio sobre a prisão do peemedebista, com quem se aliou para tirar Dilma Rousseff do poder.

Aécio também falou sobre a votação da PEC 241 em uma coletiva a jornalistas, cujo conteúdo foi distribuído por sua assessoria de imprensa. Sobre Cunha, nem ele nem outras lideranças tucanas deram um pio ao longo do dia. Apenas o líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), divulgou uma nota discreta (leia mais).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247