No PI, exploração de gás preocupa comunidades

Gestores, estudiosos e moradores estão preocupados com a exploração de gás natural na Bacia do Parnaíba, no Sul do Piauí, por causa dos impactos ambientais que a atividade poderá trazer, como a contaminação do solo e água; representantes das cidades da Bacia do Parnaíba, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, estudantes e da empresa vencedora da licitação, a Ouro Preto Óleo e Gás, já participaram de audiência para discutir o assunto

Gestores, estudiosos e moradores estão preocupados com a exploração de gás natural na Bacia do Parnaíba, no Sul do Piauí, por causa dos impactos ambientais que a atividade poderá trazer, como a contaminação do solo e água; representantes das cidades da Bacia do Parnaíba, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, estudantes e da empresa vencedora da licitação, a Ouro Preto Óleo e Gás, já participaram de audiência para discutir o assunto
Gestores, estudiosos e moradores estão preocupados com a exploração de gás natural na Bacia do Parnaíba, no Sul do Piauí, por causa dos impactos ambientais que a atividade poderá trazer, como a contaminação do solo e água; representantes das cidades da Bacia do Parnaíba, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, estudantes e da empresa vencedora da licitação, a Ouro Preto Óleo e Gás, já participaram de audiência para discutir o assunto (Foto: Leonardo Lucena)

Piauí 247 - Gestores, estudiosos e moradores estão preocupados com a exploração de gás natural na Bacia do Parnaíba, no Sul do Piauí, por causa dos impactos ambientais que a atividade poderá trazer, como a contaminação do solo e água. De acordo com o secretário estadual de Meio Ambiente, Ziza Carvalho, as técnicas a serem utilizadas na exploração são as convencionais, realizadas em todo país desde os anos 40, sem impactos relevantes ao meio ambiente.

“Todo empreendimento, principalmente um de prospecção de gás e petróleo como esse, causam impactos negativos, bem como positivos para a comunidade. A técnica utilizada no licenciamento e que está sendo analisada pela Secretaria de Meio Ambiente é a técnica convencional. Aqui mesmo, no estado vizinho do Maranhão, temos essa mesma exploração de gás natural há cinco anos, com a mesma técnica, sem qualquer impacto ao meio ambiente”, disse. As informações são do G1.

O titular da pasta afirmou que a grande preocupação da população era a possível utilização da técnica de exploração fracking - explosões e a injeção de água misturada com produtos químicos para a liberação do gás, o que pode contaminar o solo e os lençóis freáticos.

Segundo Ziza, esse tipo de técnica não foi licitada e não existe possibilidades de sua realização no estado. 

Foi realizada, na última quinta-feira (16), Floriano, Sul do estado, uma audiência com representantes das cidades da Bacia do Parnaíba, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, estudantes e da empresa vencedora da licitação, a Ouro Preto Óleo e Gás. Foram discutidos os impactos da exploração na região.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) fez uma licitação para exploração de gás natural no Piauí em 2013. A empresa Ouro Preto Óleo e Gás ganhou o direito de explorar três blocos na bacia.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247