No TO, auditores fiscais paralisam as atividades

A diretoria do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins (Sindifiscal) anunciou a paralisação das atividades até as 22h59 desta sexta-feira (1); a categoria protesta contra falta de policiamento, o sucateamento das unidades do Fisco e o Ressarcimento de Despesas de Atividade Fiscal (Redaf); após o comunicado, o Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Estado do Tocantins (Sindare), se pronunciou contra o movimento; ambos os sindicatos têm o mesmo nome, porém são rivais

A diretoria do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins (Sindifiscal) anunciou a paralisação das atividades até as 22h59 desta sexta-feira (1); a categoria protesta contra falta de policiamento, o sucateamento das unidades do Fisco e o Ressarcimento de Despesas de Atividade Fiscal (Redaf); após o comunicado, o Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Estado do Tocantins (Sindare), se pronunciou contra o movimento; ambos os sindicatos têm o mesmo nome, porém são rivais
A diretoria do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins (Sindifiscal) anunciou a paralisação das atividades até as 22h59 desta sexta-feira (1); a categoria protesta contra falta de policiamento, o sucateamento das unidades do Fisco e o Ressarcimento de Despesas de Atividade Fiscal (Redaf); após o comunicado, o Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Estado do Tocantins (Sindare), se pronunciou contra o movimento; ambos os sindicatos têm o mesmo nome, porém são rivais (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - A diretoria do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins (Sindifiscal) anunciou nessa quarta-feira (29) a paralisação das atividades até as 22h59 desta sexta-feira (1). A categoria protesta contra falta de policiamento, o sucateamento das unidades do Fisco e o Ressarcimento de Despesas de Atividade Fiscal (Redaf). Após o comunicado, o Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Estado do Tocantins (Sindare), se pronunciou contra o movimento. Ambos os sindicatos têm o mesmo nome, porém são rivais.

“O Sindare não permitirá que os seus filiados sejam usados em prejuízo ao movimento de outras entidades, como antigos gestores da Sefaz já o fizeram no passado. Daí porque recomenda aos seus filiados a não atenderem eventuais solicitações de quem quer que seja para desempenhar atividades funcionais diferentes das que já estão desempenhando normalmente neste mês, principalmente se se caracterizar que o propósito de tais convocações for o de, tão-somente, sabotar o movimento de qualquer entidade classista ou as reivindicações de outros servidores”, afirmou.

O Sindifiscal alegou que decidiu paralisar as atividades, após se reunir com o secretário-chefe da Casa Civil, Télio Ayres, o comandante da Polícia Militar, coronel Glauber Oliveira e o presidente do comitê gestor do governo do Estado, Lívio Queiroz. Segundo a entidade, não foi possível obter respostas concretas para as reivindicações. 

Em nota, a Secretaria Estadual da Fazenda afirmou que "vem conversando com o Sindifiscal sobre os assuntos que dizem motivar a paralisação dos Auditores Fiscais e que jamais renunciou à responsabilidade de garantir a integridade e a segurança dos servidores e dos contribuintes nas unidades de trabalho, em sincronia à efetivação da arrecadação e evitando a evasão dos tributos". 

"Especificamente quanto à segurança, estão sendo articuladas junto ao Secretário da Segurança Pública e ao Comandante da Polícia Militar parcerias para viabilizar a presença de policiais em todas as unidades de fiscalização", diz o texto.

Segundo o comunicado, "quanto à atualização do Ressarcimento de Despesas de Atividade Fiscal Redaf – será feita no momento oportuno, com a aquiescência do Comitê Gestor, observando que é propósito desta gestão resolver toda e qualquer pendência financeira do Governo, seja com os servidores ou com os prestadores de serviços. Entretanto, tudo deve ser realizado nos parâmetros da Lei de Responsabilidade Fiscal".

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247