Norte-Sul: juiz aceita denúncia contra Juquinha

Ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, o Juquinha, é oficialmente réu na ação que investiga irregularidades na construção da Ferrovia Norte-Sul; juiz federal substituto Eduardo Pereira da Silva, da 11ª Vara Federal de Goiás, recebeu a denúncia contra ele e mais sete pessoas; investigadores suspeitam de licitação direcionada e superfaturamento em obras por meio de aditivos e mudanças nas atribuições de projetos; órgão estima que o superfaturamento nas obras em Goiás alcance R$ 200 milhões 

Ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, o Juquinha, é oficialmente réu na ação que investiga irregularidades na construção da Ferrovia Norte-Sul; juiz federal substituto Eduardo Pereira da Silva, da 11ª Vara Federal de Goiás, recebeu a denúncia contra ele e mais sete pessoas; investigadores suspeitam de licitação direcionada e superfaturamento em obras por meio de aditivos e mudanças nas atribuições de projetos; órgão estima que o superfaturamento nas obras em Goiás alcance R$ 200 milhões 
Ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, o Juquinha, é oficialmente réu na ação que investiga irregularidades na construção da Ferrovia Norte-Sul; juiz federal substituto Eduardo Pereira da Silva, da 11ª Vara Federal de Goiás, recebeu a denúncia contra ele e mais sete pessoas; investigadores suspeitam de licitação direcionada e superfaturamento em obras por meio de aditivos e mudanças nas atribuições de projetos; órgão estima que o superfaturamento nas obras em Goiás alcance R$ 200 milhões  (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, o Juquinha, é oficialmente réu na ação que investiga irregularidades na construção da Ferrovia Norte-Sul. O juiz federal substituto Eduardo Pereira da Silva, da 11ª Vara Federal de Goiás, recebeu a denúncia contra ele e mais sete pessoas: Ulisses Assad, João Ricardo Auler, José Ivanildo Santos Lopes, Rafael Mundim Rezende, Heli Lopes Dourado, Juarez José Lopes de Macedo e Josias Gonzaga Cardoso.

Na denúncia do Ministério Público Federal de Goiás, eles são acusados pelos crimes de cartel, corrupção, lavagem de dinheiro e crimes de licitação.

O MPF em Goiás já investigava contratos da Valec e a administração de José Francisco das Neves. Os investigadores suspeitam de licitação direcionada e superfaturamento em obras por meio de aditivos e mudanças nas atribuições de projetos. O órgão estima que o superfaturamento nas obras em Goiás alcance R$ 200 milhões — valor sem correção monetária.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247