Nova prisão de Geddel implode candidatura de ACM Neto

É generalizada na política baiana a sensação de que a segunda prisão de Geddel Vieira Lima tem forte impacto negativo na pré-candidatura de ACM Neto (DEM) ao governo da Bahia em 2018; além do ex-ministro, a Polícia Federal prendeu também nesta manhã um dos principais homens de Geddel na gestão democrata: Gustavo Ferraz, exonerado por ACM da diretoria-geral da Defesa Civil duas horas depois da detenção; afilhado político de Geddel, o vice-prefeito, Bruno Reis, também é do PMDB, e automaticamente herdará a prefeitura da capital baiana por dois anos se ACM se candidatar de fato; o PMDB é ainda um dos mais forte partidos na base do prefeito na Câmara Municipal

É generalizada na política baiana a sensação de que a segunda prisão de Geddel Vieira Lima tem forte impacto negativo na pré-candidatura de ACM Neto (DEM) ao governo da Bahia em 2018; além do ex-ministro, a Polícia Federal prendeu também nesta manhã um dos principais homens de Geddel na gestão democrata: Gustavo Ferraz, exonerado por ACM da diretoria-geral da Defesa Civil duas horas depois da detenção; afilhado político de Geddel, o vice-prefeito, Bruno Reis, também é do PMDB, e automaticamente herdará a prefeitura da capital baiana por dois anos se ACM se candidatar de fato; o PMDB é ainda um dos mais forte partidos na base do prefeito na Câmara Municipal
É generalizada na política baiana a sensação de que a segunda prisão de Geddel Vieira Lima tem forte impacto negativo na pré-candidatura de ACM Neto (DEM) ao governo da Bahia em 2018; além do ex-ministro, a Polícia Federal prendeu também nesta manhã um dos principais homens de Geddel na gestão democrata: Gustavo Ferraz, exonerado por ACM da diretoria-geral da Defesa Civil duas horas depois da detenção; afilhado político de Geddel, o vice-prefeito, Bruno Reis, também é do PMDB, e automaticamente herdará a prefeitura da capital baiana por dois anos se ACM se candidatar de fato; o PMDB é ainda um dos mais forte partidos na base do prefeito na Câmara Municipal (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - É generalizada na política baiana a sensação de que a segunda prisão de Geddel Vieira Lima tem forte impacto negativo na pré-candidatura de ACM Neto (DEM) ao governo da Bahia em 2018. Além do ex-ministro, a Polícia Federal prendeu também nesta manhã um dos principais homens de Geddel na gestão democrata: Gustavo Ferraz, exonerado por ACM da diretoria-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal) pouco mais de duas horas depois da detenção.

"A Prefeitura de Salvador não compactua com nenhum ato ilícito e qualquer servidor municipal envolvido em questões dessa natureza terá que responder na Justiça", justificou ACM em comunicado à imprensa. A Polícia Federal encontrou as impressões digitais de Ferraz nas malas e nas caixas de dinheiro encontradas num apartamento emprestado a Geddel em Salvador.

Afilhado político de Geddel, o vice-prefeito, Bruno Reis, também é do PMDB, e automaticamente herdará a prefeitura da capital baiana por dois anos se ACM Neto se candidatar de fato.

A oposição já fala que parte dos R$ 51 milhões apreendidos no bunker de Geddel seria usado para financiar a campanha de ACM Neto a governador. 

Embora o prefeito tente negar a força da aliança, o fato é que o PMDB é seu principal aliado, com uma das maiores bancadas na Câmara Municipal de Salvador. 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247