“O lado bandido do PSDB não aceita o Tasso”, afirma Ciro Gomes

Para o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), o presidente nacional interino do PSDB, Tasso Jereissati, vem sendo vítima de boicote pelo “lado bandido do PSDB”. Nesta terça-feira (22), ele saiu em defesa do senador, que está sendo pressionado por parte do tucanato a deixar o comando da sigla. “O Tasso é um cara paciente, mas tem sido sabotado desde sempre pelo PSDB”, disse, avaliando que o cearense foi impedido pelo próprio partido de alçar voos mais altos na política brasileira

Para o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), o presidente nacional interino do PSDB, Tasso Jereissati, vem sendo vítima de boicote pelo “lado bandido do PSDB”. Nesta terça-feira (22), ele saiu em defesa do senador, que está sendo pressionado por parte do tucanato a deixar o comando da sigla. “O Tasso é um cara paciente, mas tem sido sabotado desde sempre pelo PSDB”, disse, avaliando que o cearense foi impedido pelo próprio partido de alçar voos mais altos na política brasileira
Para o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), o presidente nacional interino do PSDB, Tasso Jereissati, vem sendo vítima de boicote pelo “lado bandido do PSDB”. Nesta terça-feira (22), ele saiu em defesa do senador, que está sendo pressionado por parte do tucanato a deixar o comando da sigla. “O Tasso é um cara paciente, mas tem sido sabotado desde sempre pelo PSDB”, disse, avaliando que o cearense foi impedido pelo próprio partido de alçar voos mais altos na política brasileira (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) saiu em defesa do presidente nacional interino do PSDB, Tasso Jereissati, que vem sendo alvo de ataques por correligionários tucanos que desejam sua saída do cargo. “O lado bandido do PSDB não aceita o Tasso”, afirmou, em entrevista ao Blog do Eliomar no Aeroporto Pinto Martins, nesta terça-feira (22). 

“O Tasso é um cara paciente, mas tem sido sabotado desde sempre pelo PSDB. Era o candidato natural do PSDB a presidente e o Fernando Henrique deu rasteira nele. Ele que montou a equipe do Real, por exemplo. Na sequência podia ter sido candidato e o Serra sabotou. Varias vezes podia ser ministro e eles nunca permitiram e aí está ai o flagrante: a sabotagem e a agressão a ele”, disse.

O ex-governador do Ceará analisou ainda que Tasso poderia ser o nome tucano para disputar a presidência, mas “por ser sério demais, o PSDB jamais o aceitou”. Para ele, atualmente, o melhor nome do PSDB para a disputa é o do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. “Um cara da direita respeitável, digamos assim”. 

Veja mais aqui

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247