Odebrecht espera "para ontem" empréstimo para Itaquerão

Presidente da empresa, Marcelo Odebrecht, diz que bancou sozinho mais de R$ 400 milhões da obra; dos 11 estádios que pediram o financiamento, só o de São Paulo e o do Beira-Rio, em Porto Alegre, não foram liberados 

Odebrecht espera "para ontem" empréstimo para Itaquerão
Odebrecht espera "para ontem" empréstimo para Itaquerão
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, disse nesta quinta-feira que espera "para ontem" a liberação do empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para concluir o Itaquerão, que está sendo negociado com a intermediação do Banco do Brasil.

Segundo ele, depois de bancar sozinho cerca de R$ 400 milhões da obra – o custo total é de R$ 820 milhões, o financiamento do BB ainda não saiu. "Espero que [o empréstimo] seja para ontem", disse. A arena está sendo construída na Zona Leste de São Paulo e terá capacidade para 68 mil torcedores durante a Copa.

Dos 12 estádios brasileiros que receberão jogos na Copa de 2014, 11 pediram financiamento do BNDES - a exceção foi Brasília.

As nove operações aprovadas e já contratadas são Arena da Amazônia (R$ 400 milhões), Castelão (R$ 351,5 milhões), Arena Pernambuco (R$ 400 milhões), Arena das Dunas (R$ 396,5 milhões), Arena Pantanal (R$ 393 milhões), Arena Fonte Nova (R$ 323,6 milhões), Arena da Baixada (R$ 131,1 milhões), Mineirão (R$ 400 milhões) e Maracanã (R$ 400 milhões). Apenas o de São Paulo e o de Porto Alegre ainda não sairam.

O diretor-presidente da Odebrecht se reuniu nesta quinta com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto. "No fundo ela procurou escutar nossa opinião para ajudar a destravar o país", afirmou. A empresa já tem investimentos comprometidos da ordem de R$ 17 bilhões para 2013.

Odebrecht também cobrou de Dilma a necessidade de fiscalizar se investimentos frutos de concessão ou parceria público privada de fato ocorrem.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email