Olimpíadas abrem diversas possibilidades para empreendedores

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 começam no próximo dia 5 e a expectativa, de acordo com o Sebrae, é que sejam movimentados mais de R$ 300 milhões para as pequenas e médias empresas envolvidas diretamente na organização e fornecimento das Olimpíadas e Paralimpíadas, sem contar aqueles que se beneficiarão com o fluxo de turistas de dentro e fora do País; empresas de diferentes setores perceberam a necessidade de arrumarem a casinha para melhor capitalizarem as oportunidades provenientes dos dois eventos; trata-se de uma porta que se abre diante da presença de 500 mil turistas, 10,5 mil atletas, 45 mil voluntários, 85 mil terceirizados e 8 mil funcionários oficiais, que devem injetar R$ 1,7 bilhão na economia nacional, segundo dados da Embratur; confira as dicas

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 começam no próximo dia 5 e a expectativa, de acordo com o Sebrae, é que sejam movimentados mais de R$ 300 milhões para as pequenas e médias empresas envolvidas diretamente na organização e fornecimento das Olimpíadas e Paralimpíadas, sem contar aqueles que se beneficiarão com o fluxo de turistas de dentro e fora do País; empresas de diferentes setores perceberam a necessidade de arrumarem a casinha para melhor capitalizarem as oportunidades provenientes dos dois eventos; trata-se de uma porta que se abre diante da presença de 500 mil turistas, 10,5 mil atletas, 45 mil voluntários, 85 mil terceirizados e 8 mil funcionários oficiais, que devem injetar R$ 1,7 bilhão na economia nacional, segundo dados da Embratur; confira as dicas
Os Jogos Olímpicos Rio 2016 começam no próximo dia 5 e a expectativa, de acordo com o Sebrae, é que sejam movimentados mais de R$ 300 milhões para as pequenas e médias empresas envolvidas diretamente na organização e fornecimento das Olimpíadas e Paralimpíadas, sem contar aqueles que se beneficiarão com o fluxo de turistas de dentro e fora do País; empresas de diferentes setores perceberam a necessidade de arrumarem a casinha para melhor capitalizarem as oportunidades provenientes dos dois eventos; trata-se de uma porta que se abre diante da presença de 500 mil turistas, 10,5 mil atletas, 45 mil voluntários, 85 mil terceirizados e 8 mil funcionários oficiais, que devem injetar R$ 1,7 bilhão na economia nacional, segundo dados da Embratur; confira as dicas (Foto: Leonardo Lucena)

Lucas Bicudo, StartSe - Os Jogos Olímpicos Rio 2016 começam no próximo dia 5 e a expectativa, de acordo com o Sebrae, é que sejam movimentados mais de R$ 300 milhões para as pequenas e médias empresas envolvidas diretamente na organização e fornecimento das Olimpíadas e Paralimpíadas, sem contar aqueles que se beneficiarão com o fluxo de turistas de dentro e fora do país.

Existe um número expressivo de empresas de diferentes setores que perceberam a necessidade de arrumarem a casinha para melhor capitalizarem as oportunidades provenientes dos dois eventos. Trata-se de uma porta que se abre diante da presença de 500 mil turistas, 10,5 mil atletas, 45 mil voluntários, 85 mil terceirizados e 8 mil funcionários oficiais, que devem injetar R$ 1,7 bilhão na economia nacional, segundo dados da Embratur.

As Olimpíadas acontecem de 5 a 21 de agosto, com a participação de 206 países, em 37 arenas, disputando 306 provas distribuídas entre 42 modalidades esportivas. Já as Paralimpíadas estão programadas de 7 a 18 de setembro, com a participação de 176 países, em 21 arenas, disputando 528 provas distribuídas entre 23 modalidades esportivas.

Confira algumas das empresas que estão aproveitando o hype do momento:

TRAFI

O TRAFI, aplicativo que monitora os horários e rotas de transportes públicos em tempo real, acaba de ser homologado pela Prefeitura do Rio de Janeiro para disponibilizar, de forma simples e prática, informações de todos os transportes públicos da região durante os Jogos Rio 2016. A startup foi uma das vencedoras do Concurso de Transporte da Cidade Olímpica, desafio que mobilizou desenvolvedores de aplicativos nacionais e internacionais.

Cheil

A Cheil Worldwide é a maior agência de publicidade da Coreia do Sul e ocupa o 15º lugar no ranking global de agências. A empresa é especialista em comunicação de marca, retail e inovação. A filial brasileira vem ganhando cada vez mais espaço e é responsável por 27 ações ligadas ao Jogos Olímpicos para a Samsung, patrocinadora do evento. Serão montados 11 estúdios da marca, além das promoções e parte da operação da empresa durante o evento. Fundada em 1973, o grupo atua em 42 países com 51 escritórios. Os clientes da Cheil incluem Samsung, Adidas, Bacardi, Etihad, Abbott, GE, Microsoft, Pepsi e Shell.

Mobile2you

A Mobile2you é uma desenvolvedora de apps mobile sob demanda, que tem como proposta aproximar as marcas de seu público-alvo, além de otimizar e modernizar processos internos das empresas. Para as Olimpíadas, a Mobile2you lançará no final de julho um aplicativo que disponibilizará informações para facilitar o acesso dos atletas à vila olímpica com o uso da nova via, construída especificamente para esse fim.

Guichê Virtual

A plataforma do Guichê Virtual permite que as pessoas comprem passagens de ônibus para todo o Brasil. Líder no setor, a startup já registra um aumento de 18% na venda de passagens em relação aos meses anteriores. A tendência é que, durante os Jogos, a procura aumente ainda mais. O Guichê entrou em operação no início de 2013 com capital próprio dos sócios. Em 2016, recebeu sua primeira rodada de investimentos, liderada pela gestora de capitais Kaszek Ventures – fundo liderado por Hernan Kazah e Nicolas Szekasy, Cofundador e ex-CFO do Mercado Livre, respectivamente. Neste ano, o Guichê Virtual pretende consolidar sua liderança de mercado e superar a marca e 2 milhões de passagens vendidas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247