Operação apura fraude em licitações no Ipsemg

A Polícia Civil realizou uma operação que investiga fraude em licitações na compra de medicamentos em Belo Horizonte; o esquema envolve o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) e uma distribuidora e importadora de medicamentos; quatro pessoas foram conduzidas coercitivamente, quando alguém é levado para prestar depoimento, e R$ 18 mil foram apreendidos na sede da empresa; a informação é do delegado Ramon Sandoli, chefe do Departamento de Operações Especiais (Deoesp)

A Polícia Civil realizou uma operação que investiga fraude em licitações na compra de medicamentos em Belo Horizonte; o esquema envolve o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) e uma distribuidora e importadora de medicamentos; quatro pessoas foram conduzidas coercitivamente, quando alguém é levado para prestar depoimento, e R$ 18 mil foram apreendidos na sede da empresa; a informação é do delegado Ramon Sandoli, chefe do Departamento de Operações Especiais (Deoesp)
A Polícia Civil realizou uma operação que investiga fraude em licitações na compra de medicamentos em Belo Horizonte; o esquema envolve o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) e uma distribuidora e importadora de medicamentos; quatro pessoas foram conduzidas coercitivamente, quando alguém é levado para prestar depoimento, e R$ 18 mil foram apreendidos na sede da empresa; a informação é do delegado Ramon Sandoli, chefe do Departamento de Operações Especiais (Deoesp) (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - A Polícia Civil realizou, na manhã desta sexta-feira (29), uma operação que investiga fraude em licitações na compra de medicamentos em Belo Horizonte. O esquema envolve o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) e uma distribuidora e importadora de medicamentos. Quatro pessoas foram conduzidas coercitivamente, quando alguém é levado para prestar depoimento, e R$ 18 mil foram apreendidos na sede da empresa, de acordo com o delegado Ramon Sandoli, chefe do Departamento de Operações Especiais (Deoesp).

Um dos conduzidos é contratado do instituto, que atua como pregoeiro em processo licitatórios. O delegado informou que os outros são um diretor e dois funcionários da distribuidora, que fica no bairro Nova Cachoeirinha, na Região Noroeste. Após oitiva, eles serão liberados. A operação é feita em parceria com a Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais (CGE-MG).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247