Oposição faz 'enterro' da democracia na Assembleia

Protestando com um caixão e com 'velório' da democracia, que teria sido 'assassinada' pelo PT, os deputados da minoria na Assembleia Legislativa tentaram ontem anular a sessão que escolheu o deputado federal Zezéu Ribeiro, do PT, como novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE);o vice-líder da oposição, Bruno Reis (PMDB), apontou "diversas irregularidades no processo eleitoral", como as fotos feitas por governistas no momento do voto, "numa clara demonstração de que precisavam comprovar a escolha pelo candidato petista", em detrimento a Carlos Gaban (DEM)

Protestando com um caixão e com 'velório' da democracia, que teria sido 'assassinada' pelo PT, os deputados da minoria na Assembleia Legislativa tentaram ontem anular a sessão que escolheu o deputado federal Zezéu Ribeiro, do PT, como novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE);o vice-líder da oposição, Bruno Reis (PMDB), apontou "diversas irregularidades no processo eleitoral", como as fotos feitas por governistas no momento do voto, "numa clara demonstração de que precisavam comprovar a escolha pelo candidato petista", em detrimento a Carlos Gaban (DEM)
Protestando com um caixão e com 'velório' da democracia, que teria sido 'assassinada' pelo PT, os deputados da minoria na Assembleia Legislativa tentaram ontem anular a sessão que escolheu o deputado federal Zezéu Ribeiro, do PT, como novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE);o vice-líder da oposição, Bruno Reis (PMDB), apontou "diversas irregularidades no processo eleitoral", como as fotos feitas por governistas no momento do voto, "numa clara demonstração de que precisavam comprovar a escolha pelo candidato petista", em detrimento a Carlos Gaban (DEM) (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Os deputados da minoria na Assembleia Legislativa da Bahia tentaram na terça-feira (3) anular a sessão que escolheu o deputado federal Zezéu Ribeiro, do PT, como novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

O vice-líder da oposição, deputado Bruno Reis (PMDB), apontou "diversas irregularidades no processo eleitoral", como as fotos feitas por parlamentares do governo no momento do voto, "numa clara demonstração de que precisavam comprovar a escolha pelo candidato petista", em detrimento a Carlos Gaban (DEM).

Bruno Reis pediu que o presidente da Casa, deputado Marcelo Nilo (PDT), aceite o requerimento para anulação da sessão, sob argumento de que o processo feriu o voto secreto. "Todos sabemos que o voto secreto é inviolável".

O presidente do parlamento negou pedido da oposição e ameaçou acionar a polícia para retirada do caixão que os deputados da minoria levaram para simbolizar o ato de repúdio à condução do episódio pela presidência. Inconformado com o protesto, Marcelo Nilo suspendeu a sessão.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247