Oposicionista, Silvio Costa declara apoio à PEC 241

Um dos mais críticos parlamentares ao governo de Michel Temer, o deputado Silvio Costa (PTdoB-PE), vice-líder da Minoria na Câmara, surpreendeu nesta segunda-feira, 10, ao anunciar que votará a favor da aprovação da PEC 241, que limita os gastos públicos por 20 anos; "O Brasil tem 2,2 milhões servidores federais, somos 206 milhões de habitantes. É evidente que servidores estão chateados e têm motivo para isto porque vão ficar sem aumento real ao longo de 20 anos. Mas, mesmo sabendo que esta é uma proposta legítima de um governo ilegítimo, eu vou votar a favor da PEC, porque vou votar a favor dos 204 milhões de brasileiros, dos homens e mulheres que vão dormir todo o dia com medo de perder o emprego, que não têm estabilidade, dos que estão desempregados", disse

Dep. Sílvio Costa (PTdoB-PE)
Dep. Sílvio Costa (PTdoB-PE) (Foto: Aquiles Lins)

Pernambuco 247 - O deputado Silvio Costa (PTdoB-PE), vice-líder da Minoria na Câmara e um dos mais críticos ao governo de Michel Temer, anunciou nesta segunda-feira, 10, que votará a favor da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição que limita os gastos públicos por 20 anos, a PEC 241. 

"O Brasil tem 2,2 milhoes servidores federais, somos 206 milhões de habitantes. É evidente que servidores estão chateados e têm motivo para isto porque vão ficar sem aumento real ao longo de 20 anos. Mas, mesmo sabendo que esta é uma proposta legítima de um governo ilegítimo, eu vou votar a favor da PEC, porque vou votar a favor dos 204 milhões de brasileiros, dos homens e mulheres que vão dormir todo o dia com medo de perder o emprego, que não têm estabilidade, dos que estão desempregados", disse.

Além de explicar seu voto, Costa ainda fez um apelo para que os partidos de esquerda reconsiderassem suas críticas, que fossem "menos corporativistas" e reconhecessem o que chamou de "mitos" que estão sendo impostos à proposta.

"Esta história que vai faltar dinheiro para saúde e educação é mentira. Tudo o que for gasto em 2016, quando chegar em 2017 será corrigido pela inflação. A PEC ainda diz que se chegar ao absurdo de faltar dinheiro pode ser remanejada de outras rubricas. O problema da saúde e da educação não é dinheiro, é gestão", afirmou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247