Otoni: Temer quer privatizar a aposentadoria dos brasileiros

A proposta de reforma da previdência apresentada pelo governo de Michel Temer tem como objetivos a retirada de direitos trabalhistas e venda de planos de aposentadoria privada; avaliação é do deputado federal Rubens Otoni, membro titular da comissão especial na Câmara; na avaliação do deputado, com a proposta do governo de ampliação para 65 anos o tempo mínimo para requer a aposentadoria, em situação de desespero, muitos brasileiros têm procurado planos de previdência privada junto aos bancos; “Nestes quatro meses, apenas com o debate a respeito da reforma da previdência, aumentou em mais de 60% o mercado dos planos de aposentadoria privada. Eles querem privatizar a aposentadoria dos brasileiros”

A proposta de reforma da previdência apresentada pelo governo de Michel Temer tem como objetivos a retirada de direitos trabalhistas e venda de planos de aposentadoria privada; avaliação é do deputado federal Rubens Otoni, membro titular da comissão especial na Câmara; na avaliação do deputado, com a proposta do governo de ampliação para 65 anos o tempo mínimo para requer a aposentadoria, em situação de desespero, muitos brasileiros têm procurado planos de previdência privada junto aos bancos; “Nestes quatro meses, apenas com o debate a respeito da reforma da previdência, aumentou em mais de 60% o mercado dos planos de aposentadoria privada. Eles querem privatizar a aposentadoria dos brasileiros”
A proposta de reforma da previdência apresentada pelo governo de Michel Temer tem como objetivos a retirada de direitos trabalhistas e venda de planos de aposentadoria privada; avaliação é do deputado federal Rubens Otoni, membro titular da comissão especial na Câmara; na avaliação do deputado, com a proposta do governo de ampliação para 65 anos o tempo mínimo para requer a aposentadoria, em situação de desespero, muitos brasileiros têm procurado planos de previdência privada junto aos bancos; “Nestes quatro meses, apenas com o debate a respeito da reforma da previdência, aumentou em mais de 60% o mercado dos planos de aposentadoria privada. Eles querem privatizar a aposentadoria dos brasileiros” (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - A proposta de reforma da previdência apresentada pelo governo de Michel Temer tem como objetivos a retirada de direitos trabalhistas e venda de planos de aposentadoria privada. A avaliação é do deputado federal Rubens Otoni, membro titular da comissão especial na Câmara dos Deputados.

O deputado participou do lançamento da Chapa Ceilândia – Unidos Somos Mais Fortes, realizado no escritório político do deputado Chico Vigilante, neste sábado (11). Na avaliação do deputado, com a proposta do governo de ampliação para 65 anos o tempo mínimo para requer a aposentadoria, em situação de desespero, muitos brasileiros têm procurado planos de previdência privada junto aos bancos.

“Nestes quatro meses, apenas com o debate a respeito da reforma da previdência, aumentou em mais de 60% o mercado dos planos de aposentadoria privada. Eles querem privatizar a aposentadoria dos brasileiros”, avalia.

O governo também quer ampliar para 25 anos de contribuição o tempo mínimo para requerer a aposentadoria proporcional e, para estarem aptos a receber a aposentadoria integral, o trabalhador tem que contribuir por 49 anos.

Na prática, essa ampliação do tempo de contribuição vai acabar com as aposentadorias dos brasileiros. “O trabalhador teria que começar a contribuir com 16 anos e não ter nem um mês sequer sem contribuição para receber a aposentadoria integral”, avalia.

Na opinião do deputado, as reformas da previdência e trabalhista são um verdadeiro pacote de maldades contra o povo brasileiro, especialmente, com os mais necessitados, mulheres e trabalhadores rurais.

Rubens Otoni ressalta o descaso e a discriminação contra as mulheres na proposta do governo. “Não há igualdade na distribuição do salário, mas na hora de aposentadoria, querem igualar as mulheres”, critica o parlamentar.

O deputado federal também refuta a afirmação da quebra da previdência. Para ele, o governo mente com essa afirmação. O parlamentar se vale de um estudo apresentado por fiscais federais, responsáveis pela arrecadação, demonstrando superávit nas contas da previdência brasileira.

“Como aumentar o superávit da previdência? Começar cobrando mais das empresas que não pagam ao invés de tirar dinheiro das pensões das viúvas”.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247