PAC Cidades Históricas é marco na valorização cultural de Sergipe

Estado receberá R$ 22,5 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas; serão seis obras em São Cristóvão e uma em Aracaju com foco na revitalização do patrimônio histórico e cultural; "essa é mais uma grande conquista para a preservação do nosso patrimônio, e um feito que reuniu esforços das três esferas de poder, o que a torna ainda mais significativa", afirma Eloísa Galdino, secretária estadual da Cultura

Estado receberá R$ 22,5 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas; serão seis obras em São Cristóvão e uma em Aracaju com foco na revitalização do patrimônio histórico e cultural; "essa é mais uma grande conquista para a preservação do nosso patrimônio, e um feito que reuniu esforços das três esferas de poder, o que a torna ainda mais significativa", afirma Eloísa Galdino, secretária estadual da Cultura
Estado receberá R$ 22,5 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas; serão seis obras em São Cristóvão e uma em Aracaju com foco na revitalização do patrimônio histórico e cultural; "essa é mais uma grande conquista para a preservação do nosso patrimônio, e um feito que reuniu esforços das três esferas de poder, o que a torna ainda mais significativa", afirma Eloísa Galdino, secretária estadual da Cultura (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Sergipe receberá R$ 22,5 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento das Cidades Históricas (PAC Cidades Históricas). Serão seis obras em São Cristóvão e uma em Aracaju com foco na revitalização do patrimônio histórico e cultural. O anúncio foi feito pela presidenta Dilma Rousseff na manhã de terça-feira, 20, durante solenidade em São João Del-Rei (MG).

A ação, em prol da cultura e da memória sergipanas, coroa a gestão da secretária estadual da Cultura, Eloísa Galdino, que, desde que assumiu o cargo, em 2009, tem desenvolvido um bom trabalho à frente da pasta, com ações e projetos que colocam Sergipe na cena nacional, além de ter democratizado o acesso dos produtores de cultura a recursos e investimentos.

Pelo PAC Cidades Históricas, em São Cristóvão, será possível restaurar a antiga casa de Câmara e Cadeia; o Museu de Arte Sacra; os prédios da estação ferroviária e Capelinha e requalificação urbanística de sua esplanada; o Convento de São Francisco; e as igrejas Nossa Senhora do Amparo e Nossa Senhora do Rosário. O valor total destas ações, na quarta cidade mais antiga do país, é de R$ 11,1 milhões.

Já em Aracaju, será viabilizada a revitalização do Complexo Ferroviário, localizado na zona norte da capital sergipana, a um custo de R$ 11,4 milhões, que será transformado em um espaço voltado para a cultura, inclusive a sede da secretaria será transferida para lá. No último dia 5, a diretora do Núcleo de Obras e Patrimônio da Secult (NOP), Tatiana Costa, apresentou à secretária Eloísa Galdino o estudo preliminar para adaptação do espaço e ouviu da gestora algumas sugestões para que este processo seja concluído o mais breve possível.

Eloísa destacou que, ao tomar ciência do projeto, abraçou-o prontamente por entender a sua importância cultural e administrativa para a vida cultural no Estado. “Colocamos o nosso Núcleo de Obras e Patrimônio para tocar o projeto de um dos galpões que vai abrigar a Secult. O que defendemos, além disso, é que o projeto tenha também uma política de uso para incentivar a visitação das pessoas, com exposições e apresentações musicais, por exemplo, afinal, fica localizada em um local histórico e que liga o antigo Centro Histórico de Aracaju aos bairros das zonas Leste e Norte da cidade”, frisou.

O projeto das novas instalações da Secult contará com dois pavimentos. As novas paredes serão construídas um pouco afastadas das paredes originais, de forma a preservar a circulação do ar. Além disso, há a intenção de construir a estrutura com piso elevado e parte dele em vidro, de forma a deixar visível a linha férrea que passa pelo local. A estrutura contará ainda com 22 gabinetes e duas salas de reuniões.

O anúncio dos recursos, feito pela presidente Dilma, é considerado por Eloísa uma vitória, fruto da soma de esforços da superintendência da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), do Instituto do Patrimônio Histórico Nacional em Sergipe (Iphan/SE), da Subsecretaria de Estado do Patrimônio Histórico e Cultural (Subpac) e da Prefeitura de São Cristóvão.

“Essa é mais uma grande conquista para a preservação do nosso patrimônio, e um feito que reuniu esforços das três esferas de poder, o que a torna ainda mais significativa”, diz a secretária Eloísa Galdino. “Só na gestão do governador Marcelo Déda já foram investidos mais de R$ 40 milhões na área. Esses recursos chegam para dar continuidade a essa política de recuperação de monumentos importantíssimos para a história de Sergipe e do Brasil”, lembra.  

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email