“Pacientes morrem sem medicamentos”, diz Sindicato

O presidente do Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed), Wellington Galvão, denunciou que diante da exigência para que pacientes realizem exames a cada três meses para obter medicamentos, muitos estão morrendo em Alagoas: "Quem procura esse tipo de ajuda na Farmex é porque apresenta um quadro de doença crônica, lutando diariamente para sobreviver. Dificultar esse acesso aos medicamentos é desumano"; Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) esclareceu que não dificulta a dispensação dos medicamentos, apenas cumpre portaria que trata dos Protocolos Clínicos elaborados pelo Ministério da Saúde (MS)

O presidente do Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed), Wellington Galvão, denunciou que diante da exigência para que pacientes realizem exames a cada três meses para obter medicamentos, muitos estão morrendo em Alagoas: "Quem procura esse tipo de ajuda na Farmex é porque apresenta um quadro de doença crônica, lutando diariamente para sobreviver. Dificultar esse acesso aos medicamentos é desumano"; Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) esclareceu que não dificulta a dispensação dos medicamentos, apenas cumpre portaria que trata dos Protocolos Clínicos elaborados pelo Ministério da Saúde (MS)
O presidente do Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed), Wellington Galvão, denunciou que diante da exigência para que pacientes realizem exames a cada três meses para obter medicamentos, muitos estão morrendo em Alagoas: "Quem procura esse tipo de ajuda na Farmex é porque apresenta um quadro de doença crônica, lutando diariamente para sobreviver. Dificultar esse acesso aos medicamentos é desumano"; Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) esclareceu que não dificulta a dispensação dos medicamentos, apenas cumpre portaria que trata dos Protocolos Clínicos elaborados pelo Ministério da Saúde (MS) (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Além de lutar para se manterem vivos, pacientes com doenças crônicas estão enfrentando mais um desafio para obter os remédios que são ofertados pela Farmácia de Medicamentos Excepcionais de Alagoas (Farmex). O presidente do Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed),Wellington Galvão, declarou que, diante da exigência para que pacientes realizem exames a cada três meses para obter medicamentos, muitos estão morrendo em Alagoas.

De acordo com Galvão, os médicos que desempenham as funções no estado se reuniram nessa segunda-feira na sede do Sinmed e, por meio de um documento oficial, vão manifestar aos Conselhos Estadual de Saúde de Alagoas (CES/AL) e Regional de Medicina (CRM) a preocupação da categoria para com a portaria. A medida em vigor no estado é fruto de uma decisão do Ministério da Saúde.

"Quem procura esse tipo de ajuda na Farmex é porque apresenta um quadro de doença crônica, lutando diariamente para sobreviver. Todos sabem que é muito caro fazer os exames, mas mesmo assim o paciente é obrigado. Dificultar esse acesso aos medicamentos é desumano. Os pacientes estão morrendo enquanto isso", alertou o presidente do Sinmed.  

Por meio da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau), o Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (CEAF) esclareceu que não dificulta a dispensação dos medicamentos, apenas cumpre portaria que trata dos Protocolos Clínicos elaborados pelo Ministério da Saúde (MS).

A Sesau salientou os protocolos Clínicos, inclusive, foram colocados para consulta pública pelo Ministério da Saúde, através do site da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec), para que, antes da oficialização, fossem avaliados e recebessem sugestões quanto a possíveis modificações.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247