Para analistas, crise do PMDB beneficia Marconi

Marqueteiros e especialistas em pesquisas sustentam que o governador tucano, que lidera a corrida eleitoral, leva vantagem com a desistência dos peemedebistas Júnior Friboi e Iris Rezende; partido está mergulhado num vácuo político que poderá comprometer o desempenho nas eleições deste ano; já Marconi segue em franca recuperação da imagem, com inaugurações de obras e constantes visitas ao interior, com reflexos positivos nos números eleitorais; mesmo na Capital, maior reduto da oposição, a popularidade do governador começa a crescer, sintomaticamente

Marqueteiros e especialistas em pesquisas sustentam que o governador tucano, que lidera a corrida eleitoral, leva vantagem com a desistência dos peemedebistas Júnior Friboi e Iris Rezende; partido está mergulhado num vácuo político que poderá comprometer o desempenho nas eleições deste ano; já Marconi segue em franca recuperação da imagem, com inaugurações de obras e constantes visitas ao interior, com reflexos positivos nos números eleitorais; mesmo na Capital, maior reduto da oposição, a popularidade do governador começa a crescer, sintomaticamente
Marqueteiros e especialistas em pesquisas sustentam que o governador tucano, que lidera a corrida eleitoral, leva vantagem com a desistência dos peemedebistas Júnior Friboi e Iris Rezende; partido está mergulhado num vácuo político que poderá comprometer o desempenho nas eleições deste ano; já Marconi segue em franca recuperação da imagem, com inaugurações de obras e constantes visitas ao interior, com reflexos positivos nos números eleitorais; mesmo na Capital, maior reduto da oposição, a popularidade do governador começa a crescer, sintomaticamente (Foto: Realle Palazzo-Martini)

HELTON LENINE, DO DIÁRIO DA MANHÃ

A crise vivida pelo PMDB – maior partido de oposição em Goiás – a partir da desistência dos dois pré-candidatos à sucessão estadual, Iris Rezende e Júnior Friboi, favorece o projeto de reeleição do governador Marconi Perillo (PSDB), na opinião de especialistas em marketing político e analistas de pesquisas eleitorais.

Desde que Iris Rezende e Júnior Friboi se afastaram das pré-campanhas ao Palácio das Esmeraldas, o PMDB está mergulhado num vácuo político que poderá comprometer o desempenho do partido nas eleições deste ano. Até agora, sem candidato oficial ao governo estadual – Iris Rezende mantém-se em silêncio –, o PMDB tenta encontrar superar as dificuldades que vive.

O próprio grupo do empresário Júnior Friboi lançou dois nomes – deputado estadual Daniel Vilela e o federal Sandro Mabel – como alternativas para enfrentar o ex-governador Iris Rezende na convenção do PMDB. No entanto, Vilela e Mabel disseram que não aceitam o lançamento de seus nomes para a corrida ao governo de Goiás.

VANTAGEM DE MARCONI

Hamilton Carneiro, publicitário e marqueteiro com atuação em diversas campanhas em Goiás, desde 1998, reconhece como grave e cujos resultados são “altamente danosos” a crise vivida pelo PMDB, desde a desistência dos dois pré-candidatos a governador – Iris Rezende e Júnior Friboi. “Mesmo se o PMDB conseguir juntar os cacos, não vai montar o vaso.”

Hamilton Carneiro sustenta, o governador Marconi Perillo, por liderar as pesquisas eleitorais, já tem o respaldo de boa parte do eleitorado e, por isso, tem capacidade de conquistar o apoio daqueles setores que se sentem agora desprotegidos e frustrados pelos acontecimentos que ocorrem no universo oposicionista. “Não há dúvida que Marconi leva vantagem com as dificuldades vividas pelo PMDB e outros partidos de oposição, porque já está à frente no debate sobre a sucessão estadual.”

Marcus Vinícius Queiroz, marqueteiro com campanhas realizadas em Goiás, Tocantins, Rondônia e até no exterior, diz que, caso o ex-governador Iris Rezende não consiga debelar a “profunda crise” vivida pelo PMDB, o catalizador desses descontentamentos será o governador Marconi Perillo. “Sinceramente, já presenciei diversas crises e rachas de partidos, mas como esse cenário vivido pelo PMDB de Goiás é a primeira vez. Se Iris não tiver capacidade para restaurar a unidade interna do PMDB, o partido está fadado a enfrentar uma campanha com muitas dificuldades e riscos eleitorais este ano.”

Marcus Vinícius Queiroz argumenta que o empresário Júnior Friboi foi levado a afastar-se da disputa em Goiás, pelo fato de não ter conseguido “motivar o eleitorado, pois não tinha um programa, um projeto de governo, apenas propostas de cunho pessoal, ancoradas na ambição de poder”. Sobre Vanderlan Cardoso (PSB), o publicitário diz que o empresário não cresceu a sua popularidade desde que concorreu ao governo de Goiás em 2010. “Ele aparece com 15%, 17% nas intenções de voto, praticamente o mesmo porcentual de 2010. Não consegue empolgar, apresentar-se como novidade ao eleitor goiano.” Sobre Antônio Gomide: (PT), Queiroz analisa: “O petista tenta se apresentar como o novo, mas é desconhecido do eleitorado e está isolado das forças políticas e partidárias. Não haverá tempo suficiente para mudar o cenário político a seu favor.”

Marcus Vinícius Queiroz diz que Marconi Perillo, ao persistir esse quadro do PMDB, deverá se beneficiar e capitalizar política e eleitoralmente, principalmente agora que o governador “recupera a sua imagem, mergulha no interior para prestar contas do trabalho administrativo que realiza em Goiás.” E acrescenta: “Marconi torna-se, a partir de agora, competitivo, eleitoralmente. São as pesquisas que mostram a força eleitoral de Marconi Perillo.”

Gean Carvalho, jornalista, especialista em marketing e analista de pesquisas (Instituto Fortiori), diz que a divisão do PMDB favorece a reeleição do governador Marconi Perillo na medida em que a crise vivida pelo PMDB fragiliza seu principal adversário nas eleições deste ano, o ex-governador Iris Rezende.

Para Gean Carvalho, a razão principal do favoritismo do governador tucano não passa pelos problemas da oposição: “O que coloca Marconi Perillo em primeiro lugar na disputa pela reeleição é a forte recuperação da avaliação positiva do seu governo.” E acrescenta o especialista: “Essa recuperação não ocorreu por acaso, pois é fruto da estratégia correta do governador, que priorizou o trabalho e as ações administrativas, deixando o debate eleitoral, que pouco interessa ao eleitor, apenas aos seus adversários.”

Mário Rodrigues Filho, especialistas na análise de pesquisas eleitorais e proprietário do Instituto Grupom, reconhece que a crise do PMDB beneficia a todos os adversários, inclusive ao governador Marconi Perillo. “A verdade é que o eleitorado simpatizante do PMDB está desesperado, com essa grave situação interna, de incertezas e de desacertos. O eleitor peemedebista está à deriva, sem saber que rumo tomar, diante dessa confusão estabelecida pelo maior partido de oposição.”

Mário Rodrigues ressalta ser ainda cedo para avaliar o “tamanho do estrago” proporcionado pelo PMDB em relação à sucessão estadual, mas adianta que o governador Marconi Perillo é um dos que levam vantagem com esse quadro de desencontro na oposição. “Marconi tem tudo para capitalizar esse cenário de incertezas no PMDB, pois lidera as pesquisas, está presente na mídia, intensifica o trabalho administrativo.”

Um dado revelado pelo pesquisador Mário Rodrigues Filho, divulgado pelo Twitter: “Cai sintomaticamente a rejeição ao governo Marconi na região metropolitana de Goiânia.”

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247