Para Guimarães, "bons pagadores não podem ser punidos"

Em reunião com o governador Camilo Santana (PT) e a bancada cearense em Brasília, o deputado José Guimarães (PT-CE) criticou a renegociação da dívida do estado com a União, avaliando que “o Nordeste e o Ceará foram discriminados, pois deverá ser feito um duro sacrifício para aqueles que historicamente são bons pagadores”. O parlamentar comprometeu-se também a realizar esforços para incluir as emendas que ajudarão o Ceará no combate à seca na Lei de de Diretrizes Orçamentárias

Em reunião com o governador Camilo Santana (PT) e a bancada cearense em Brasília, o deputado José Guimarães (PT-CE) criticou a renegociação da dívida do estado com a União, avaliando que “o Nordeste e o Ceará foram discriminados, pois deverá ser feito um duro sacrifício para aqueles que historicamente são bons pagadores”. O parlamentar comprometeu-se também a realizar esforços para incluir as emendas que ajudarão o Ceará no combate à seca na Lei de de Diretrizes Orçamentárias
Em reunião com o governador Camilo Santana (PT) e a bancada cearense em Brasília, o deputado José Guimarães (PT-CE) criticou a renegociação da dívida do estado com a União, avaliando que “o Nordeste e o Ceará foram discriminados, pois deverá ser feito um duro sacrifício para aqueles que historicamente são bons pagadores”. O parlamentar comprometeu-se também a realizar esforços para incluir as emendas que ajudarão o Ceará no combate à seca na Lei de de Diretrizes Orçamentárias (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará247 - "Estados bons pagadores como o Ceará não podem ser punidos em uma renegociação de dívidas como assim fez o governo interino”, declarou o deputado federal José Guimarães (PT-CE), logo após a reunião do governador Camilo Santana (PT) com a bancada da Câmara dos Deputados, ocorrida na manhã desta terça-feira (5), em Brasília. 

O governador abriu a reunião esclarecendo a negociação da dívida do estado junto à União. Para Guimarães, "o Nordeste e o Ceará foram discriminados na renegociação, pois deverá ser feito um duro sacrifício para aqueles que historicamente são bons pagadores". "Não justifica o governo interino liberar R$ 2,9 bilhões para o Rio de Janeiro, enquanto o povo do Ceará vive o quinto ano de seca", avaliou o deputado.

A crise hídrica foi outro assunto bastante discutido na reunião. O governador comentou o andamento dos investimentos em abastecimento de água no estado que enfrenta uma estiagem por cinco anos consecutivos. Houve consenso entre os parlamentares que o drama provocado pela seca é tão relevante quanto a necessidade de socorrer o Rio de Janeiro para realização dos jogos olímpicos.

Camilo Santana descreveu aos deputados o diálogo com a união em busca da liberação de recursos para realização de obras necessárias para evitar racionamento de água em Fortaleza. Para ele, "mais importante do que discutir dívida do estado é garantir água para o povo".

O objetivo da reunião foi discutir as emendas de bancada à LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) para amenizar o drama da seca no Estado. "Logo que a mensagem chegar à Casa, vou fazer todo o esforço necessário para incluir as emendas necessárias para ajudar o povo do Ceará", garantiu Guimarães.

Os deputados decidiram também promover uma mobilização para que o governo federal acelere o ritmo do andamento das obras da integração do rio São Francisco. "Me preocupa muito, pois existe um risco de atraso nas obras que pode fazer com que o Nordeste entre em colapso hídrico", alertou o deputado.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247