Para Guimarães, cenário econômico pode ser favorável no segundo semestre

Para o líder do Governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), o Brasil passa por uma "dificuldade econômica controlável", e os números do PIB divulgados recentemente pelo IBGE dão sinais de grandes possibilidades de crescimento no segundo semestre. Ele rechaçou também a ideia da crise entre PT e PMDB que teria sido criada através do incentivo à criação de novos partidos, com o objetivo de esvaziar o principal aliado no congresso. Para ele, isso não é atitude do Governo, que tem sua própria agenda

Para o líder do Governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), o Brasil passa por uma "dificuldade econômica controlável", e os números do PIB divulgados recentemente pelo IBGE dão sinais de grandes possibilidades de crescimento no segundo semestre. Ele rechaçou também a ideia da crise entre PT e PMDB que teria sido criada através do incentivo à criação de novos partidos, com o objetivo de esvaziar o principal aliado no congresso. Para ele, isso não é atitude do Governo, que tem sua própria agenda
Para o líder do Governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), o Brasil passa por uma "dificuldade econômica controlável", e os números do PIB divulgados recentemente pelo IBGE dão sinais de grandes possibilidades de crescimento no segundo semestre. Ele rechaçou também a ideia da crise entre PT e PMDB que teria sido criada através do incentivo à criação de novos partidos, com o objetivo de esvaziar o principal aliado no congresso. Para ele, isso não é atitude do Governo, que tem sua própria agenda (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - Nem retração econômica, nem crise. O líder do governo ca Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), avalia que o país passa por uma “dificuldade econômica controlável” e defende ajustes nas contas do governo para evitar o recuo da economia em 2015. Ele comentou nesta segunda (30) os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontaram crescimento de 0,1% no Produto Interno Bruno (PIB) brasileiro em 2014. 

"A oposição ficou dizendo aos quatro cantos que nós teríamos tido retração econômica em 2014. Ela deve estar muita chateada com essa previsão catastrófica porque, no cenário de especulação completa, o PIB de 2014 não ter crescimento negativo e ainda dar esse respiro, eu penso que é um sinal de que a economia dá claros sinais das grandes possibilidades de crescimento no segundo semestre", afirmou Guimarães.

 

Relação PT /PMDB

De passagem pelo aeroporto de Fortaleza, o deputado comentou, em entrevista ao Blog do Eliomar, a suposta crise que teria se instalado após as declarações do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), de que o Governo estaria fomentando a criação de novos partidos, como o PL, com o objetivo de “diminuir o tamanho” de seu principal aliado.

“O Governo nem incentivou e nem incentivará a criação de novos partidos. Isso não é atitude do Governo. Ele quer, claro, partidos fortes, porque para a democracia é fundamental. O que a presidenta faz foi vetar a janela da infidelidade, aquela história dos 30 dias. A agenda do governo é a agenda do governo, essa não é nenhuma razão para estabelecer crise entre o PT e o PMDB. Nesse aspecto aí não tem, porque eu conheço o veto da presidenta e é aquilo que é inclusive expectativa do PMDB. Numa hora como essas, não tem que ficar inventando coisa de crise aqui, crise acolá. Nós temos uma coalizão e é preciso que todos ajudem a recompor a relação do Governo com o congresso, cada um com suas responsabilidades”. 

Sobre a indicação de Henrique Alves (PMDB-RN) ao Ministério do Turismo, que dá ao partido o comando da sétima pasta no primeiro escalão, Guimarães declarou que o número não faz diferença e que “o importante é o governo funcionar”. 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247