Para Marta, PMDB vai do 'conservadorismo à vanguarda'

"Entro porque sinto que 'caibo' neste partido que vai do conservadorismo à vanguarda. E que é amplo, plural, não sectário, que tem tantos caciques que não tem nenhum, o que leva a resolver as desavenças na política e a se unir nas grandes decisões", disse a senadora Marta Suplicy, ao justificar seu ingresso no PMDB, já falando como pré-candidata à prefeitura de São Paulo; "São Paulo precisa voltar a ter prioridades corretas e se tornar um lugar onde todos sejam ouvidos"

A ministra da Cultura, Marta Suplicy lança editais destinados à internacionalização da cultura brasileira. O programa, denominado Conexão Cultura Brasil(Elza Fiúza / Agência Brasil)
A ministra da Cultura, Marta Suplicy lança editais destinados à internacionalização da cultura brasileira. O programa, denominado Conexão Cultura Brasil(Elza Fiúza / Agência Brasil) (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A senadora Marta Suplicy publicou artigo nesta sexta-feira, em que justifica a saída do PT e explica seu ingresso no PMDB, partido pelo qual pretende concorrer à prefeitura de São Paulo.

"Quis o destino me propiciar entrar num partido que tem o DNA da democracia e que exerceu o principal papel na conquista e na consolidação democrática que hoje vivemos", disse ela, no texto Unidade.

"A postulação de ser candidata à prefeitura em 2016 não é o que me move neste momento. A evolução e amadurecimento da discussão dos graves e sérios problemas que a cidade vive e os desafios a enfrentar farão com que caminhemos unidos para uma candidatura forte e competitiva", afirmou.

No entanto, o discurso é de candidata. "São Paulo precisa voltar a ter prioridades corretas e se tornar um lugar onde todos sejam ouvidos."

Marta afirmou ainda que o PMDB "vai do conservadorismo à vanguarda". E disse ainda "que é amplo, plural, não sectário, que tem tantos caciques que não tem nenhum, o que leva a resolver as desavenças na política e a se unir nas grandes decisões."

No fim, alfinetou o PT, ao dizer que "o Brasil é muito maior do que tudo que fizeram com ele".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247