Para Nilmário, governo tem que tirar lição com truculência da PM

"Nós ainda estamos levantando os dados, ouvindo muita gente, ouvindo o sindicato. O nosso objetivo é menos falar do ocorrido, e mais tirar as lições do que aconteceu. É importante estabelecer parâmetros para regular o uso das armas não letais em manifestações, garantir a segurança da imprensa, enfim, aprender mesmo com isso para agir nos próximos atos" afirmou o Secretário de Direitos Humanos de Minas  

"Nós ainda estamos levantando os dados, ouvindo muita gente, ouvindo o sindicato. O nosso objetivo é menos falar do ocorrido, e mais tirar as lições do que aconteceu. É importante estabelecer parâmetros para regular o uso das armas não letais em manifestações, garantir a segurança da imprensa, enfim, aprender mesmo com isso para agir nos próximos atos" afirmou o Secretário de Direitos Humanos de Minas
 
"Nós ainda estamos levantando os dados, ouvindo muita gente, ouvindo o sindicato. O nosso objetivo é menos falar do ocorrido, e mais tirar as lições do que aconteceu. É importante estabelecer parâmetros para regular o uso das armas não letais em manifestações, garantir a segurança da imprensa, enfim, aprender mesmo com isso para agir nos próximos atos" afirmou o Secretário de Direitos Humanos de Minas   (Foto: Luis Mauro Queiroz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pautando Minas - O Secretário de Direitos Humanos do governo de Minas Gerais, Nilmário Miranda (PT), questionou os modos cujos quais os policiais militares usaram contra a manifestação de pessoas contra o aumento na tarifa de ônibus em Belo Horizonte. Pessoas ficaram feridas e outras foram detidas.

"Nós ainda estamos levantando os dados, ouvindo muita gente, ouvindo o sindicato. O nosso objetivo é menos falar do ocorrido, e mais tirar as lições do que aconteceu. É importante estabelecer parâmetros para regular o uso das armas não letais em manifestações, garantir a segurança da imprensa, enfim, aprender mesmo com isso para agir nos próximos atos".

A Casa de Direitos Humanos ficará aberta nesta quinta-feira e também nesta sexta-feira para que os manifestantes possam falar os seus relatos de violência da polícia mineira. A pasta quer ouvir dos manifestantes se houveram mais situações de truculência e uso de força excessiva por parte da tropa. Os dados serão enviados ao governador, Fernando Pimentel.

O horário de funcionamento é de 9h às 15h e o endereço é: avenida Amazonas, 558, no Centro de Belo Horizonte.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email