Partidos pequenos querem chapa independente

Um grupo de partidos está discutindo a formação de uma chapa proporcional para disputar vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal; agrupamento, formado por PPS, PSL, PMN, Pros, PSDC, PRB e PCdoB, quer garantir a eleição de pelo menos dois deputados federais e três deputados estaduais; "Se prosperar, cada partido terá seu candidato a governador, mas na disputa proporcional para deputados estaremos juntos. Isso não prejudica o projeto dos candidatos majoritários e preserva os interesses de cada partido", diz Nilson Lima; Edvaldo Nogueira afirma que "partidos menores estão cansados de serem escada para os maiores"  

Um grupo de partidos está discutindo a formação de uma chapa proporcional para disputar vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal; agrupamento, formado por PPS, PSL, PMN, Pros, PSDC, PRB e PCdoB, quer garantir a eleição de pelo menos dois deputados federais e três deputados estaduais; "Se prosperar, cada partido terá seu candidato a governador, mas na disputa proporcional para deputados estaremos juntos. Isso não prejudica o projeto dos candidatos majoritários e preserva os interesses de cada partido", diz Nilson Lima; Edvaldo Nogueira afirma que "partidos menores estão cansados de serem escada para os maiores"
 
Um grupo de partidos está discutindo a formação de uma chapa proporcional para disputar vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal; agrupamento, formado por PPS, PSL, PMN, Pros, PSDC, PRB e PCdoB, quer garantir a eleição de pelo menos dois deputados federais e três deputados estaduais; "Se prosperar, cada partido terá seu candidato a governador, mas na disputa proporcional para deputados estaremos juntos. Isso não prejudica o projeto dos candidatos majoritários e preserva os interesses de cada partido", diz Nilson Lima; Edvaldo Nogueira afirma que "partidos menores estão cansados de serem escada para os maiores"   (Foto: Valter Lima)

Valter Lima, do Sergipe 247 - Um grupo de partidos está discutindo a formação de uma chapa proporcional para disputar vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal. A ideia, a princípio, é que a coligação não esteja vinculada a nenhum dos pré-candidatos a governador já definidos (o governador Jackson Barreto e o senador Eduardo Amorim). O agrupamento, formado por PPS, PSL, PMN, Pros, PSDC, PRB e PCdoB, quer garantir a eleição de pelo menos dois deputados federais e três deputados estaduais.

Um dos responsáveis pela iniciativa, Nilson Lima (PPS), explica que a ideia partiu inicialmente do projeto de criação de uma terceira via na eleição deste ano, com a possibilidade de lançamento da candidatura do senador Valadares (PSB) ao governo. Mas como essa questão ainda não tem tido encaminhamentos mais definitivos, o grupo tem pensado também na formação de uma chapa para as disputas proporcionais, que envolveria partidos pequenos que não enxergam chances de vitória quando inseridos em coligações com partidos maiores. É a famigerada divisão entre chapão (para legendas como PT, PMDB, PSDB, PSB, DEM e PSC) e chapinhas (PCdoB, PPS, Pros e PRB, entre outros).

"Diante do quadro que se vê atualmente em Sergipe de muita indefinição, os partidos estão tentando formar essa chapa. A ideia tem atraído legendas ligadas a Jackson, a Amorim e a Valadares. Se prosperar, cada partido terá seu candidato a governador, mas na disputa proporcional para deputados estaremos juntos. Isso não prejudica o projeto dos candidatos majoritários e preserva os interesses de cada partido", explica Nilson Lima, que ressalta que não há ainda uma posição fechada sobre o assunto. "Estamos ainda conversando. Tem partido se aproximando, mas não há nada decidido", avisa.

PCdoB

O ex-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) confirma a existência das conversas em torno da possibilidade de criação desse bloco independente, mas também diz que "ainda é um trabalho incipiente", embora não esconda a satisfação com a ideia. "Os partidos menores estão cansados de serem escada para os maiores. Os partidos que estão em condição de igualdade com outros estão se aproximando", afirma.

O presidente do PCdoB, Hallison Souza, ressalta que o objetivo do grupo é "viabilizar os candidatos" desses partidos. Ele, no entanto, não esconde que é desejo do PCdoB atrair esse agrupamento para a base de apoio ao governador Jackson Barreto. "Seriam duas chapas ao lado do candidato do PMDB a governador", defende. Na próxima semana, o grupo irá se reunir novamente para voltar a discutir o projeto.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247