Pastor Luciano herda vaga de Tia Eron na Câmara dos Deputados

A saída da deputada federal Tia Eron (PRB) para assumir a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza do prefeito ACM Neto (DEM) vai levar à Câmara dos Deputados o ex-vereador de Salvador Pastor Luciano (PMB); o primeiro suplente da coligação é o ex-deputado Luiz Argôlo, que está preso no âmbito da Operação Lava Jato. Com o impedimento de Argôlo, assume Pastor Luciano, o segundo suplente

A saída da deputada federal Tia Eron (PRB) para assumir a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza do prefeito ACM Neto (DEM) vai levar à Câmara dos Deputados o ex-vereador de Salvador Pastor Luciano (PMB); o primeiro suplente da coligação é o ex-deputado Luiz Argôlo, que está preso no âmbito da Operação Lava Jato. Com o impedimento de Argôlo, assume Pastor Luciano, o segundo suplente
A saída da deputada federal Tia Eron (PRB) para assumir a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza do prefeito ACM Neto (DEM) vai levar à Câmara dos Deputados o ex-vereador de Salvador Pastor Luciano (PMB); o primeiro suplente da coligação é o ex-deputado Luiz Argôlo, que está preso no âmbito da Operação Lava Jato. Com o impedimento de Argôlo, assume Pastor Luciano, o segundo suplente (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - A saída da deputada federal Tia Eron (PRB) para assumir a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps) do prefeito ACM Neto (DEM) vai levar à Câmara dos Deputados o ex-vereador de Salvador Pastor Luciano (PMB).

O primeiro suplente da coligação é o ex-deputado Luiz Argôlo, que está preso no âmbito da Operação Lava Jato. Com o impedimento de Argôlo, assume Pastor Luciano, o segundo suplente.

Mas as mudanças na bancada baiana na Câmara podem não parar por aí. Com a possível ida do deputado Antônio Imbassahy para a Secretaria de Governo da Presidência da República, quem voltará para Brasília será Marcos Medrado, do Partido Solidariedade (SD), que não conseguiu se reeleger na disputa de 2014. Mas ele prefere não criar muita expectativa até então. "Vamos esperar as coisas acontecerem. Não adiante ficar especulando muita coisa", diz Medrado.

As últimas informações sobre a movimentação envolvendo Imbassahy são de que ele deve ser nomeado por Michel Temer (PMDB) apenas em fevereiro, quando o Congresso Nacional voltar do recesso parlamentar.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247