Paulo quer empréstimo de meio bilhão e gera polêmica

Situação financeira da prefeitura de Goiânia volta ao centro do debate na Câmara Municipal; vereadores aprovaram hoje, em primeira votação, projeto de lei que autoriza o Paço a contrair empréstimo de R$ 500 milhões junto ao Credit Suisse para usar "contrapartida de projetos parcialmente financiados"; são eles: projeto Macambira Anicuns, BRT e obras de mobilidade urbana; vereadores de oposição criticam o fato de o projeto permitir, no entanto, que o prefeito Paulo Garcia (PT) utilize os recursos em outras áreas de sua escolha; "A contrapartida que a Prefeitura daria ao BID tinha que ser dada com recursos do tesouro. Não conseguiu antes e quer mais 500 milhões agora?", contesta o vereador Djalma Araújo

Situação financeira da prefeitura de Goiânia volta ao centro do debate na Câmara Municipal; vereadores aprovaram hoje, em primeira votação, projeto de lei que autoriza o Paço a contrair empréstimo de R$ 500 milhões junto ao Credit Suisse para usar "contrapartida de projetos parcialmente financiados"; são eles: projeto Macambira Anicuns, BRT e obras de mobilidade urbana; vereadores de oposição criticam o fato de o projeto permitir, no entanto, que o prefeito Paulo Garcia (PT) utilize os recursos em outras áreas de sua escolha; "A contrapartida que a Prefeitura daria ao BID tinha que ser dada com recursos do tesouro. Não conseguiu antes e quer mais 500 milhões agora?", contesta o vereador Djalma Araújo
Situação financeira da prefeitura de Goiânia volta ao centro do debate na Câmara Municipal; vereadores aprovaram hoje, em primeira votação, projeto de lei que autoriza o Paço a contrair empréstimo de R$ 500 milhões junto ao Credit Suisse para usar "contrapartida de projetos parcialmente financiados"; são eles: projeto Macambira Anicuns, BRT e obras de mobilidade urbana; vereadores de oposição criticam o fato de o projeto permitir, no entanto, que o prefeito Paulo Garcia (PT) utilize os recursos em outras áreas de sua escolha; "A contrapartida que a Prefeitura daria ao BID tinha que ser dada com recursos do tesouro. Não conseguiu antes e quer mais 500 milhões agora?", contesta o vereador Djalma Araújo (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247 - Mais uma vez a situação financeira da prefeitura de Goiânia gera polêmica na Câmara Municipal. A Casa aprovou nesta terça-feira, em primeira votação, projeto de lei que libera o Paço para contrair empréstimo de R$ 500 milhões junto ao banco Credit Suisse. O texto diz que os recursos serão destinado a custear a "contrapartida de projetos parcialmente financiados".

São eles: Projeto Urbana Macambira Anicuns, implantação do BRT e e execução de obras de mobilidade urbana, como rampas de acessibilidade em calçadas. Na sequência, texto autoriza o prefeito Paulo Garcia (PT) a aplicar os recursos em outros projetos de sua escolha.

Vereadores de oposição questionam este ponto e afirmam que desta forma os recurso não tem destinação. "A contrapartida que a Prefeitura daria ao BID tinha que ser dada com recursos do tesouro. Não conseguiu antes e quer mais 500 milhões agora?", contesta o vereador Araújo (SDD).

"Não se trata de engessar a Prefeitura nem de reconhecer a importância do projeto Macambira-Anicuns, mas de reprovar a má gestão de recursos", completa. 

Em agosto deste ano, Paulo Garcia assinou convênio com a Caixa Econômica Federal que libera R$ 145 milhões para implantação de corredores preferenciais de ônibus na Capital e mais R$ 70 milhões para as obras do BRT Goiás Norte-Sul.

Macambira-Anicuns

O projeto do Parque Linear Macambira Anicuns foi criado pelo então prefeito Pedro Wilson (PT) na década passada. Nas gestão de Iris Rezende (PMDB), as obras não avançaram mesmo com desapropriações sendo realizadas. Em 2012, Paulo Garcia começou uma etapa da obra, mas problemas no contrato fizeram a empreiteira abandonar o projeto e mais uma vez o projeto se viu encalhado.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247