Pazuello contraria Bolsonaro e diz que Supremo está certo em delegar a estados decisões sobre coronavírus

De acordo com o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, "mesmo que a gente faça uma observação específica, pactuando com estados e municípios, não vamos tomar uma decisão unilateral"

Eduardo Pazuello
Eduardo Pazuello (Foto: Erasmo Salomão/MS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, contrariou Jair Bolsonaro e afirmou, nesta terça-feira (23), que acha correta a medida do Supremo Tribunal Federal (STF) de delegar aos estados e aos municípios as decisões sobre o isolamento social. De acordo com o militar, esse é o "melhor desenho" para a gestão da política de combate ao coronavírus. "Mesmo que a gente faça uma observação específica, pactuando com estados e municípios, não vamos tomar uma decisão unilateral", disse ele em audiência pública realizada, por videoconferência, em comissão mista do Senado.

"Acho que é a única decisão possível. Cabe ao governo federal as observações macro e ações específicas de estruturas federais, com discussões nesse nível", acrescentou o general.  O relato foi publicado em reportagem de Rafael Bitencourt, do Valor.

Pazuello definiu como "soberana" a decisão dos médicos em relação à maneira mais correta de tratar os pacientes infectados pela Covid-19. "O diagnóstico clínico é soberano. Os nossos médicos têm, sim, a capacidade e o direito de diagnosticar aquele paciente, dando a ele o protocolo de tratamento que assim ele (o médico) achar que deve fazer", acrescentou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email