PC do B quer apoio do PTN para Alice Portugal

Depois de garantir apoio do PSD, o PC do B tenta adesão do PTN à pré-candidatura da deputada federal Alice Portugal para a disputa pela prefeitura de Salvador em outubro próximo. As conversas entre os dois partidos já vêm acontecendo "amistosamente, mas ainda não tem tratativa feita", de acordo com o presidente do PC do B na Bahia, deputado Daniel Almeida; segundo o presidente do PTN, deputado João Carlos Bacelar, o martelo será batido somente após o governador Rui Costa; "Isso é natural, mas ainda não houve nenhuma conversa concreta. A gente já vinha conversando há algum tempo, como também vínhamos com o PP", diz Bacelar

Dep. Alice Portugal
Dep. Alice Portugal (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Depois de garantir apoio do PSD, o PC do B tenta adesão do PTN à pré-candidatura da deputada federal Alice Portugal para a disputa pela prefeitura de Salvador em outubro próximo. As conversas entre os dois partidos já vêm acontecendo "amistosamente, mas ainda não tem tratativa feita", de acordo com o presidente do PC do B na Bahia, deputado Daniel Almeida.

Segundo o presidente do PTN, deputado João Carlos Bacelar, o martelo será batido somente após o governador Rui Costa (PT), principal articulador das candidaturas da sua base, sobre qual estratégia será adotada nas eleições municipais em Salvador. "Isso é natural, mas ainda não houve nenhuma conversa concreta. A gente já vinha conversando há algum tempo, como também vínhamos com o PP", diz Bacelar.

De acordo com o presidente do PTN, a decisão se adere ao projeto do PSB ou do PP dependerá exclusivamente da tática do governo estadual quanto à adoção, ou não, da pulverização de candidaturas.

"A gente vinha dentro de uma estratégia traçada por Rui no sentido de que tivéssemos diversas candidaturas no nosso arco. O que sinto é que essas candidaturas não deram liga, então, hoje estamos reduzidos a duas candidaturas, a de Alice e a de Claudio Silva (ex-superintendente da Sucom). Está na hora de afunilar", afirma o deputado ao jornal Tribuna da Bahia.

"Acho que são dois bons nomes que conhecem bem a cidade, têm inserção nos quatro cantos e podem apresentar alternativa popular. Para definir, primordialmente, estamos dependendo da estratégia do governador e do grupo político que dá sustentação ao governo", disse Bacelar.

Segundo o dirigente, a decisão será tomada na hora certa. "Temos que ter muito cuidado na decisão por conta da responsabilidade que o PTN tem com a cidade de Salvador", ressaltou o dirigente.

As conversas entre as legendas de esquerda aliadas ao governador Rui Costa se intensificaram nos últimos dias. A ideia de reduzir o número de candidaturas, fugindo da tática da pulverização, tem ganhado força na articulação política do Palácio de Ondina, que estuda uma forma de levar a disputa pela prefeitura de Salvador para o segundo turno contra o prefeito ACM Neto, caso o democrata decida ser o candidato. O presidente do PT na Bahia, por exemplo, afirma que a tendência é ter no máximo três nomes concorrendo ao Executivo dentro da base governista.

O nome de Alice Portugal, depois do apoio oficializado do PSD, se junta ao do deputado estadual Sargento Isidório (PDT). A meta agora no governo Rui é tentar construir uma aliança em que estejam unidos, pelo menos, PC do B, PT, PSD e PSB. De acordo com Anunciação, até a festa do Dois de Julho o mapa de candidaturas estará definido no arco de alianças ligado ao governador Rui Costa.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247