PDVSA pode ficar fora de refinaria em Pernambuco

A participação da PDVSA na Refinaria Abreu e Lima (Rnest) parece cada vez mais distante. O diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Consenza, afirmou que as tentativas de negociação com a estatal venezuelana foram interrompidas desde o último dia 29 de fevereiro; de acordo com o dirigente, a morte de Hugo Chávez e as eleições presidenciais na Venezuela podem ter atrapalhado o andamento das discussões a respeito dos investimentos que estão sendo feitos na Rnest, em construção em Suape, Grande Recife

PDVSA pode ficar fora de refinaria em Pernambuco
PDVSA pode ficar fora de refinaria em Pernambuco

PE247 – A participação da PDVSA na Refinaria Abreu e Lima (Rnest) parece cada vez mais distante. O diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Consenza, afirmou que as tentativas de negociação com a estatal venezuelana foram interrompidas desde o último dia 29 de fevereiro. De acordo com o dirigente, a morte de Hugo Chávez e as eleições presidenciais na Venezuela podem ter atrapalhado o andamento das discussões a respeito dos investimentos que estão sendo feitos na Rnest, em construção no Complexo Industrial e Portuário de Suape, Grande Recife. O empreendimento está orçado em US$ 21 bilhões e, segundo Consenza, está com 73% de conclusão.

Após a morte de Hugo Chávez, a Venezuela passou por um processo eleitoral delicado, já que a oposição contestou a eleição de Nícolas Maduro. Porém, Consenza reforça que, independentemente, dos problemas enfrentados pela Venezuela, a Petrobrás continuará tocando obra e, se for necessário, sozinha. “Não vamos parar o projeto por causa da Venezuela”, declarou, conforme o jornal Folha de S. Paulo.

A parceria entre Brasil e Venezuela foi anunciada em 2006 pelo então presidente Lula (PT). Ficou decidido que a PDVSA ficaria com 40% do empreendimento e a Petrobrás com 60%. A estatal venezuelana nunca deu garantias de que assumiria a sua parte na Rnest, conforme previsto no acordo. Curiosamente, cogitou-se a possibilidade de a PDVSA fazer o pagamento em óleo cru ao invés de pagar em dinheiro. Mas as negociações não avançaram.

A refinaria Abreu e Lima, orçada inicialmente em US$ 2,3 bilhões, terá capacidade para processar 115 mil barris de petróleo por dia quando estiver pronta, em novembro de 2014, um atraso de quatro anos. Outros 115 mil serão produzidos a partir de maio de 2015.

Segundo Consenza, o consumo médio no país cresce 4,2% ao ano com a conclusão de empreendimentos como a Refinaria Petroquímica do Rio de Janeiro (Comperj), com 52% de execução.  Caso este crescimento seja mantido, o Brasil poderá se tornar autossuficiente em petróleo entre 2018 e 2020. O dirigente informou, também, que o custo do refino caiu 11% do primeiro trimestre deste ano em comparação com igual período de 2012, enquanto a produção de derivados de petróleo aumentou 6%.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247