Pedidos chineses de propriedade intelectual disparam, é difícil dizer se país joga limpo, diz ONU

O crescimento acelerado da China em propriedade intelectual levou a acusações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que o país teria roubado ideias norte-americanas, mas o chefe da Organização Mundial de Propriedade Intelectual.

Pedidos chineses de propriedade intelectual disparam, é difícil dizer se país joga limpo, diz ONU
Pedidos chineses de propriedade intelectual disparam, é difícil dizer se país joga limpo, diz ONU
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - A China é agora um importante produtor de tecnologias inovadoras, ultrapassando por pouco o Japão para se tornar a segunda maior fonte de aplicações para patentes, disse a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta quarta-feira.

O crescimento acelerado da China em propriedade intelectual levou a acusações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que o país teria roubado ideias norte-americanas, mas o chefe da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (WIPO, na sigla em inglês), ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), disse que é difícil dizer.

“A realidade é que um novo competidor chegou”, disse o diretor-geral da WIPO, Francis Gurry, em coletiva de imprensa em Genebra.

“Nós vamos apenas observar o que acontece agora, mas eu diria que a realidade comercial, econômica e geopolítica que temos que reconhecer é que a China chegou como um grande competidor tecnológico.”

Mantidas as taxas atuais, a China superará os EUA para se tornar a maior fonte de aplicações de patentes internacionais no sistema da WIPO em três anos, disse a entidade.

Os principais candidatos à patentes na WIPO em 2017 foram as empresas de tecnologia chinesas Huawei e ZTE Corp, seguidas pela norte-americana Intel Corp, a japonesa Mitsubishi Electric Corp e a norte-americana Qualcomm Inc.

As aplicações da China para marcas registradas internacionais no sistema da WIPO subiu 36 por cento no ano passado e ficou claro que o país deixou de ser um consumidor de tecnologias para se tornar um produtor de tecnologia, colocando-o no centro da corrida global de inovação, disse Gurry.

Por Tom Miles

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247