Pelegrino: Reforma da Previdência é pura maldade e tem que ser derrubada

"Essa reforma é a maior maldade que eu já vi em 20 anos que estou neste Parlamento. Condenar as mulheres e os trabalhadores rurais a trabalharem até os 65 anos, exigir 49 anos de contribuição, acabar com as aposentadorias especiais... Isso o povo brasileiro não aceita", protestou o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), em discurso nesta quarta-feira 22; ele destacou que há insatisfação também na própria base do governo

"Essa reforma é a maior maldade que eu já vi em 20 anos que estou neste Parlamento. Condenar as mulheres e os trabalhadores rurais a trabalharem até os 65 anos, exigir 49 anos de contribuição, acabar com as aposentadorias especiais... Isso o povo brasileiro não aceita", protestou o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), em discurso nesta quarta-feira 22; ele destacou que há insatisfação também na própria base do governo
"Essa reforma é a maior maldade que eu já vi em 20 anos que estou neste Parlamento. Condenar as mulheres e os trabalhadores rurais a trabalharem até os 65 anos, exigir 49 anos de contribuição, acabar com as aposentadorias especiais... Isso o povo brasileiro não aceita", protestou o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), em discurso nesta quarta-feira 22; ele destacou que há insatisfação também na própria base do governo (Foto: Gisele Federicce)

Bahia 247 - Os deputados de oposição ao governo Michel Temer estão confiantes de que a proposta da reforma da Previdência, enviada ao Congresso pelo Executivo e que deve chegar ao plenário da Câmara no final de março, pode ser derrotada.

Em discurso nesta quarta-feira 22, o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) afirmou que há um clima de insatisfação na sociedade, uma vez que a PEC é "pura maldade" e um verdadeiro desmonte do sistema de aposentadorias públicas no País.

"Essa reforma é a maior maldade que eu já vi em 20 anos que estou neste Parlamento. Condenar as mulheres e os trabalhadores rurais a trabalharem até os 65 anos, exigir 49 anos de contribuição, acabar com as aposentadorias especiais... Isso o povo brasileiro não aceita", disse ele.

"A proposta irá condenar homens e mulheres, no caso das mulheres, elas terão que trabalhar mais dez anos. É uma proposta que inviabiliza a aposentadoria dos trabalhadores rurais, e a maioria não irá se aposentar com salário integral. Além disso, está casa vez mais claro que o governo está falseando os dados sobre o déficit na previdência", acrescentou.

O parlamentar destacou que há insatisfação também na própria base do governo. Segundo ele, diversos deputados governistas já afirmaram que não irão aprovar a PEC 287 do jeito que foi apresentada.

"Eu estou começando a ficar confiante e a acreditar que nós vamos derrotar essa proposta. Diversos deputados da base do governo são contrários à matéria e estão, inclusive, articulando emendas para alterar o texto base. Ou seja, os próprios deputados da base estão impondo mudanças à reforma proposta por Temer", explicou.

O deputado disse que é fundamental a mobilização popular para barrar a Reforma da Previdência no Congresso Nacional. "A mobilização vai crescer; os deputados começarão a ser abordados nos aeroportos, nas suas bases eleitorais e eu tenho certeza que nós vamos conseguir derrotar essa proposta de reforma da Previdência neste Plenário".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247